Política

Moro sugere Renata Abreu como candidata do Podemos ao governo de SP

Nome da presidente nacional da sigla agradaria inclusive prefeitos que já manifestaram apoio ao vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB)

Sérgio MoroSérgio Moro - Foto: Arquivo

Pré-candidato à Presidência da República pelo Podemos, o ex-ministro Sergio Moro sugeriu que a deputada Renata Abreu seja a candidata do partido ao governo de São Paulo.

— No Dia Internacional da Mulher, parabenizo a deputada Renata Abreu, presidente do Podemos. Precisamos de mais mulheres em posições de liderança no país. Quem sabe no governo de São Paulo? — escreveu o ex-juiz da Lava-Jato.

O nome da presidente nacional da sigla passou a ser cogitado após polêmicas envolvendo declarações machistas do deputado Arthur do Val. Em áudio vazado na última sexta-feira, o parlamentar disse que mulheres refugiadas são "fáceis porque são pobres”. Nesta terça, a legenda de Renata aceitou o pedido de desfiliação de Do Val, que estava há pouco mais de um mês na sigla.
 

Segundo integrantes do Podemos ouvidos pelo GLOBO, Renata é uma unanimidade dentro do partido e a escolha de seu nome seria uma forma de pacificar a situação no estado São Paulo, onde há um embate entre os prefeitos que querem apoiar o vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB) e o Movimento Brasil Livre (MBL), que já estuda lançar outro nome próprio ao Palácio dos Bandeirantes.

—A Renata tem muito mais experiência e credibilidade do que Arthur (do Val), além de ser mulher e muito capaz. Se confirmada a candidatura, será um bom nome — disse o prefeito de Itapevi, Igor Soares.

Nos bastidores, a presidente do Podemos se mostra simpática à ideia, mas diz que só poderá confirmar ou não a candidatura após definir as chapas nacionais. Entre os outros nomes cogitados estão o general Santos Cruz e o próprio Soares.

Veja também

União Brasil pode adiar eleição interna
Partido

União Brasil pode adiar eleição interna

Lula e Mia Mottley discutem mudança climática em reunião na Guiana
Mundo

Lula e Mia Mottley discutem mudança climática em reunião na Guiana