Moro vai ao Senado propor mudança no projeto sobre abuso de autoridade

Moro irá apresentar a sugestão ao plenário do Senado nesta quinta pela manhã e preparou um ofício aos congressistas sobre o tema

Humberto Costa (PT)Humberto Costa (PT) - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

O juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, vai apresentar pessoalmente proposta ao Senado para que o projeto de lei sobre abuso de autoridade tenha um artigo que impeça a punição de juízes, promotores e policiais por atos ligados a interpretação de leis e avaliação de fatos e de provas.

A inclusão desse texto no projeto de lei poderá afastar parte da ameaça "de que a nova lei de abuso de autoridade tenha o efeito prático de tolher a independência da magistratura e a atuação vinculada à lei por parte do Ministério Público e da autoridade policial", de acordo com o magistrado.

Moro irá apresentar a sugestão ao plenário do Senado na quinta-feira (1º) às 11h (10h do Recife) e preparou um ofício aos congressistas sobre o tema.

No documento, o juiz federal diz entender que "este não é o melhor momento para deliberar sobre o projeto" da lei de abuso de autoridade pois sua aprovação poderá ser interpretada como medida para impedir o avanço de investigações criminais importantes como a Lava Jato.

Porém, se o Congresso levar adiante a proposta legislativa, ela não pode tornar crime o trabalho analítico das autoridades em investigações e processos, segundo o juiz.

"Direito não é matemática e pessoas razoáveis podem divergir razoavelmente na interpretação da lei e na avaliação de fatos e provas", escreveu Moro.

Para o magistrado, a nova legislação poderá ser usada por criminosos para prejudicar o trabalho das autoridades.

"Sem salvaguardas, a lei terá o efeito prático de restringir a atuação vinculada à lei e submeter juízes, desembargadores, ministros, promotores e policiais a acusações ou a ameaças temerárias por parte de criminosos, quer membros de organizações criminosas, traficantes, terroristas e mesmo envolvidos em esquema de corrupção e lavagem de dinheiro".

Moro sugere a inclusão do seguinte texto na lei de abuso de autoridade: "não configura crime previsto nesta lei a divergência na interpretação da lei penal ou processual penal ou na avaliação de fatos e provas".

Emenda

A emenda aprovada nesta madrugada, junto com a votação do pacote anticorrupção do Ministério Público, estabelece punição criminal àqueles que proponham ações de improbidade "de maneira temerária", ou "com finalidade de promoção pessoal ou por perseguição política".

O texto também pretende classificar como crime de abuso de autoridade a manifestação de juízes e promotores em qualquer meio de comunicação de opinião sobre processos, próprios ou de terceiros, entre outras medidas, parte baseada em critérios subjetivos.

Veja também

Mourão diz que posição do governo não é por uma Constituinte
Brasil

Mourão diz que posição do governo não é por uma Constituinte

TCU fará auditoria em órgãos públicos para avaliar combate ao assédio sexual
auditoria

TCU fará auditoria em órgãos públicos para avaliar combate ao assédio sexual