Mourão aciona exército. Jungmann fez série de apelos

Segundo Mourão, o Exército está colocando a 10ª Brigada, sediada em Recife, para reforço

Hamilton Mourão, Raul Jungmann e Fernando Azevedo e SilvaHamilton Mourão, Raul Jungmann e Fernando Azevedo e Silva - Foto: divulgação

Ex-ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, de bom trânsito com ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, cuidou de fazer um apelo ao auxiliar do presidente Jair Bolsonaro no último domingo. Pediu que as Forças Armadas saíssem em socorro do Nordeste dada a dimensão do desastre ambiental e do impacto socioeconômico. Ontem, deu-se uma reunião no Ministério da Defesa, que precedeu o seguinte anúncio feito pelo presidente da República em exercício, Hamilton Mourão: o Exército cairá em campo para reforçar as operações na costa pernambucana. Nas palavras de Mourão, "o óleo que chegou, agora, em Pernambuco, vamos dizer, é uma segunda vaga de assalto". Mourão prosseguiu assim: "Já houve a primeira vaga de assalto, agora chegou a segunda. Pode ter ficado para trás na hora que foi lançado no mar". A primeira vez que o óleo atingiu o Estado foi no início de setembro.

Na última quinta-feira, os resíduos voltaram a aparecer no litoral pernambucano. A população mobilizou-se para coleta e retirada dos resíduos e o Governo do Estado seguiu cobrando ações mais efetivas da União. Jungmann também chegou a entrar em contato com Mourão na tarde de ontem. "Como nordestino, venho apelar à vossa sensibilidade", introduziu o ex-ministro na mensagem. Realçou, no texto, que "é chegada a alta estação turística e parte da economia nordestina, idem empregos e impostos, será duramente abalada". Na semana passada, o deputado federal Silvio Costa Filho havia contactado o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que comprometeu-se a vir ao Estado, mas só conseguiu agendar para hoje. Nesse intervalo de tempo, as manchas avançaram e atingiram outras praias: Suape, Praia do Cupe, Xaréu, Itapuama e Paiva. Voluntários correram para coletar o material. Como disse o vice-presidente, já não se trata da primeira aparição do óleo no Estado. E ações mais efetivas do Governo Federal se fazem necessárias, mas também não anulam as interrogações que persistem sem respostas: qual a origem do material e qual a extensão do dano.

 

Boi na linha
Se o deputado Silvio Costa Filho, responsável por articular a visita do ministro do Meio Ambiente a Pernambuco, confirmava a agenda de Ricardo Salles, ontem, no Palácio das Princesas, o compromisso, no início da noite, ainda não era dado como prego batido e ponta virada. Fontes do governo afirmavam o seguinte: "Nunca houve contato oficial". No Palácio, prevalecia a versão: "Não temos confirmação até o momento".
escopo > Segundo informações de Silvio Costa Filho, o ministro ficou de chegar ao Recife às 3h de hoje, vindo de Porto Alegre. Às 9h, tem reunião na Capitania dos Portos com a Marinha. E teria solicitado que o governador possa participar.
Vai tu... > Em Pernambuco, o ministro da Segurança Pública, Sérgio Moro, não escapou de ser questionado sobre o óleo que atinge as praias pernambucanas. Disse que o assunto que tinha vindo tratar era Segurança, mas defendeu que o Governo Federal estava trabalhando para conter o avanço das manchas.
...mesmo! > Moro foi informado de que o recolhimento do material estava sendo feito, no Estado, por voluntários e que ele era o único representante do Governo Federal que havia passado por Pernambuco em meio ao problema.
Bolo de rolo > No Palácio das Princesas, Moro almoçou com o governador Paulo Câmara. No cardápio, só amenidades e bolo de rolo de sobremesa. Não teve assunto mais tenso, nem sobre o óleo.
À mesa > Ainda no almoço com Moro, estavam: os secretários
Zé Neto, Pedro Eurico, Cloves Benevides e Antônio de Pádua, o presidente da Alepe, Eriberto Medeiros, e o prefeito Junior Matuto. 

Veja também

Flávio Dino diz que vai processar Bolsonaro por propaganda política em viagem ao Maranhão
política

Flávio Dino diz que vai processar Bolsonaro por propaganda política em viagem ao Maranhão

STF suspende julgamento sobre legalidade de revista íntima em presídio
justiça

STF suspende julgamento sobre legalidade de revista íntima em presídio