Movimentos de esquerda ficarão acampados a 2 km do TRF-4

Eles se concentrarão em frente ao "antigo posto fiscal da Receita", na BR-116, localizado nas proximidades da Ponte do Guaíba

Caros Veras, Presidente da CUT-PECaros Veras, Presidente da CUT-PE - Foto: Anderson Stevens/ Folha de Pernambuco

Cerca de 10 mil integrantes dos movimentos de esquerda, especialmente camponeses, caminharão na próxima segunda-feira (22) até o acampamento a cerca de dois quilômetros do TRF 4 (Tribunal Regional Federal da 4 Região), onde ocorrerá o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Porto Alegre.

Leia também:
Lula diz estar mais sereno do que magistrados que irão julgá-lo
Lula não descarta ida a Porto Alegre para julgamento
Tribunal transmitirá ao vivo julgamento de Lula

Eles se concentrarão em frente ao "antigo posto fiscal da Receita", na BR-116, localizado nas proximidades da Ponte do Guaíba. Em seguida, os trabalhadores sairão em marcha até o Anfiteatro Pôr-do-Sol, onde será montado um acampamento da Frente Brasil Popular. O trajeto foi acertado com a Secretaria da Segurança Pública. A marcha contará com a presença do coordenador nacional do (MST) Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra João Pedro Stédile e transitará por quatro avenidas.

A secretaria já definiu que o entorno do tribunal será isolado. O perímetro inclui o Parque Harmonia, onde, inicialmente, os movimentos de esquerda planejavam montar acampamento.A data de início do isolamento ainda não foi determinada, mas os sete prédios públicos ao redor da corte terão o expediente suspenso a partir de meio-dia de terça-feira (23). Só entra no perímetro quem estiver credenciado.

Veja também

Gilmar Mendes determina nova prisão domiciliar de Queiroz e esposa
STF

Gilmar Mendes determina nova prisão domiciliar de Queiroz e esposa

Marco Aurélio, do STF, responsabiliza polícia por ferimento a jornalista em manifestação
violência

Marco Aurélio, do STF, responsabiliza polícia por ferimento a jornalista em manifestação