Na prática, gesto de Temer não deve alterar racha no PSDB

Alckmin já chegou a dizer que, se dependesse dele, o PSDB não teria mais cargos no governo

Michel TemerMichel Temer - Foto: Nelson ALMEIDA / AFP

Líder do PSDB, Ricardo Tripoli, que orientou votação a favor do prosseguimento da denúncia contra o presidente Michel Temer, já disputou prévias em São Paulo sem o apoio de Geraldo Alckmin. Tripoli tem como maior aliado Bruno Covas, vice de João Dória, o que o torna sua relação mais estreita com o prefeito do que com o governador. E, embora tenha dado orientação contrária a Temer, durante a votação na Câmara Federal, o voto de Tripoli deverá ser favorável à Reforma da Previdência. Por outro lado, alguns tucanos que votaram a favor de Temer serão contrários à reforma, a exemplo de Caio Nárcio (MG). Ambos já sinalizaram seus votos. Ontem, Temer fez o gesto de ir a ato com Dória em São Paulo, a quem dirigiu elogios.

Temer trabalha para alcançar os 308 votos necessários à aprovação da Reforma da Previdência e afagar o tucanato é um passo. A bancada de São Paulo tem 12 votos, dos quais só um foi a favor dele na denúncia, caso de Bruna Furlan. Ela também foi a única integrante da bancada paulista que compareceu ao evento com o presidente. Na visão de tucanos, Alckmin, enquanto potencial candidato ao Planalto, não tem razões para colar sua imagem à do atual presidente. E Dória precisa do Governo Federal, mais em razão de necessidades administrativas do que de acordos políticos. Não sendo papel do prefeito entrar na briga com o executivo federal e sendo Dória tido como cristão-novo no PSDB, o encontro de ontem pode não trazer qualquer resultado, na prática, em favor de Temer. Segue a divisão no PSDB, que teve metade da bancada contra o peemedebista.

Não passou batido
As ausências dos secretários de Saúde, Iran Costa, e de Desenvolvimento Econômico, Raul Henry, foram anotadas, ontem, pelos presentes na audiência pública em defesa da Hemobrás, na Alepe. Entre os participantes, estavam os senadores Humberto Costa e Armando Monteiro, além de deputados federais e estaduais.

Contra-ataque > Nesse contexto, restaram críticas de Humberto e do deputado Silvio Costa, de que falta articulação do governador Paulo Câmara em defesa do empreendimento. Coube ao presidente da AD/Diper, Leonardo Cerquinho, arremessar: "Não governamos com bravatas".

Caminho 1 > A despeito das queixas que pairam, nas coxias, no grupo dos Coelho, onde já se fez as contas em relação às emendas dirigidas à cidade, o deputado Lucas Ramos registra que direcionou um volume considerável a Petrolina.

Caminho 2 >
"Somente para abastecimento de água, foram destinados R$ 500 mil, beneficiando mais de 650 famílias", realça o parlamentar. O caminho, segundo ele, foi o Estado. "Mas foram liberadas com Miguel Coelho prefeito", pondera.

Ossos... >
O deputado Odacy Amorim sublinha que os contatos que manteve com o governador Paulo Câmara ou com secretários foram "todos exclusivamente institucionais, nunca políticos". Para ele, trata-se de uma obrigação do mandato.

...do ofício >Ainda na avaliação dele, "não há diferença entre esses contatos e aqueles de membros do PTB com o Governo Estadual, como o senador Armando Monteiro Neto, que foi ao Palácio para tratar sobre as enchentes em Pernambuco". Em nota recente enviada à coluna, após cobranças do PT, o PTB alfinetou a ausência de "desempenho uniforme dos partidos da oposição".

Veja também

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara
STF

Gilmar suspende inquérito contra desembargador que deu carteirada para não usar máscara

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação
Pandemia

Governo desrespeita prazos, e Lewandowski cobra planos para Manaus e vacinação