BRASIL

"Não gosto de levar desaforo para casa", diz Ciro Gomes sobre revidar tapa em jovem

Agressão aconteceu durante show de Samba em Fortaleza (CE) neste domingo

Ciro Gomes dá tapa na cara de homem após provocação Ciro Gomes dá tapa na cara de homem após provocação  - Foto: Reprodução vídeo

O ex-presidenciável pelo PDT Ciro Gomes justificou agressão a jovem que o chamou de "bandido" por não achar razoável uma "pessoa decente" ser insultada "de graça", após afirmar que não gosta de levar desaforo para casa. O pedetista deu as declarações em entrevista, nesta segunda-feira, ao podcast do vereador Pedro Ferreira Mesquita Filho, conhecido como PPCell (PSD).

— Não acho razoável uma pessoa decente ser insultada de graça e não reagir. Eu fico pensando que, se não reagir, estou aceitando — afirmou Ciro. — No fim, o filho da gaita que fez a provocação, que chama gente séria de ladrão, misturando alhos com bugalhos, que possivelmente vota em ladrão.

Neste domingo, viralizou um vídeo em que o músico Tiê Rocha, de 30 anos, provocou Ciro Gomes em um show de samba em Fortaleza, capital do Ceará. No momento, ele chamou o político de bandido e, logo em seguida, levou um tapa no rosto, e o ex-ministro pediu para ser respeitado.
 

Em uma publicação nas redes sociais, o músico afirmou que o candidato à Presidência em 2022 demonstrou "zero controle emocional" e que o Ciro "vai aprender a respeitar a cara de um sertanejo":

"Ciro vai aprender a respeitar a cara de um sertanejo. Eu fiz uma pergunta e ele podia ter só dado uma gargalhada na minha cara e saído, mas resolveu me agredir, nítido comportamento de uma pessoa com zero controle emocional", escreveu o músico em um comentário nas redes sociais. Em outra postagem, Tiê se refere a Ciro como "branco cis desequilibrado".

Veja também

Tarcísio é o preferido para presidência, diz pesquisa feita no ato pró-Bolsonaro
Disputa presidencial

Tarcísio é o preferido para presidência, diz pesquisa feita no ato pró-Bolsonaro

Érika Hilton pede investigação sobre despesas com estadias de Bolsonaro no Bandeirantes
Justiça

Érika Hilton pede investigação sobre despesas com estadias de Bolsonaro no Bandeirantes