Não tem plano B para reforma da Previdência, afirma Meirelles

Ministro afirmou que ainda estão faltando votos, mas entende que é possível a aprovação, porque, diz, o número está aumentando

Henrique Meirelles, ministro da FazendaHenrique Meirelles, ministro da Fazenda - Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta quarta-feira (7) que o governo federal não tem uma estratégica caso a reforma da Previdência não seja aprovada no Congresso. "Não tem plano B. A ideia é a aprovar a reforma. Se trabalhássemos com outra estratégia entramos enfraquecidos", avalia o ministro após participar de um encontro com investidores.

O ministro afirmou que ainda estão faltando votos, mas entende que é possível a aprovação, porque, diz, o número está aumentando. "Houve uma percepção grande sobre a necessidade da reforma", afirmou.

Leia também:
Maia diz que mantém previsão de votar reforma da Previdência no dia 20
Centrais pedem a Maia que reforma da Previdência não seja votada este ano


Meirelles destacou mais uma vez que a reforma é fundamental para que o governo alcance o equilíbrio fiscal. O ministro avalia que até o final de fevereiro a discussão e a votação devem ser encerradas na Câmara.

A previsão é que o assunto comece a ser discutido no plenário dia 19. Para ser aprovado, o texto da reforma precisa dos votos, em dois turnos, de 308 dos 523 deputados e de 49 dos 81 senadores. A versão final do relatório foi apresentada nesta quarta-feira redigida pelo relator da PEC (proposta de emeda à Constituição), Arthur Maia (PSB-BA).

Veja também

Abraham Weintraub é reeleito como diretor executivo no Banco Mundial por mais dois anos
Brasil

Abraham Weintraub é reeleito como diretor executivo no Banco Mundial por mais dois anos

Covas tem 26%, Russomanno, 20%, e Boulos e França empatam em terceiro, diz Ibope
SÃO PAULO

Covas tem 26%, Russomanno, 20%, e Boulos e França empatam em terceiro, diz Ibope