Não trabalho com expectativas, diz Lula sobre julgamentos

Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira (22) que não tem expectativas acerca de dois julgamentos cruciais para seu futuro

Ex-presidente Lula (PT)Ex-presidente Lula (PT) - Foto: Lula Marques/Agência PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira (22) que não tem expectativas acerca de dois julgamentos cruciais para seu futuro. Na tarde desta quinta-feira, o STF (Supremo Tribunal Federal) julga pedido de habeas corpus apresentado pela defesa de Lula para impedir que seja preso antes de esgotados todas etapas legais.

Já o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) julga, na segunda-feira (26), recurso dos advogados do petista contra condenação aplicada pela própria corte. Mantida a condenação, o tribunal poderá decretar sua prisão, caso o STF não decida a seu favor.

Questionado sobre o que espera do dia de hoje, Lula afirmou: "Não tenho expectativa. Não trabalho com expectativas". Em São Miguel das Missões, com dificuldades de acesso à internet, Lula assistiu ao canto de remanescentes tribos indígenas colonizadas por jesuítas.

Leia também:
Supremo julga habeas corpus preventivo para evitar prisão de Lula

Sob protestos, Lula diz que não está disposto a levar desaforo para casa

Entrevistou crianças indígenas e posou para fotos com elas. Entre as ruínas de uma antiga igreja, era possível ouvir os gritos e palavras de ordem dos manifestantes que levaram tratores e máquinas agrícolas para o entorno do sítio histórico.

O prefeito da cidade assumiu o microfone para protestar contra o que chamou de um ato político de uma cambada de um patrimônio histórico. Antes de subir no ônibus da caravana, o ex-presidente foi abraçado por um apoiador que chorou em seu ombro. "Nada de desanimar", disse-lhe Lula.

Veja também

Alepe elege nova Mesa Diretora. Eriberto Medeiros é reeleito presidente da Casa
PERNAMBUCO

Alepe elege nova Mesa Diretora. Eriberto Medeiros é reeleito presidente

Polícia do Rio intima Bonner e Renata após censura no caso das 'rachadinhas' de Flávio Bolsonaro
rio de janeiro

'Rachadinhas' de Flávio Bolsonaro: Polícia intima Bonner e Renata