Política

Não vou entregar o cargo, diz ministro de Educação após fala de Bolsonaro

Velez falou com a imprensa durante 18º Fórum Empresarial Lide, que ocorre em Campos do Jordão (SP)

Ricardo Vélez Rodríguez, o ministro da EducaçãoRicardo Vélez Rodríguez, o ministro da Educação - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Educação, Ricardo Vélez, afirmou nesta sexta-feira (5) que não irá entregar o cargo.

Velez falou com a imprensa durante 18º Fórum Empresarial Lide, que ocorre em Campos do Jordão (SP).

Nesta sexta, o presidente Jair Bolsonaro indicou que o ministro deve deixar o comando da pasta na próxima segunda-feira (8).

O ministro evitou responder perguntas sobre uma eventual saída do ministério. Afirmou apenas que Bolsonaro não conversou com ele a respeito.

"Eu pessoalmente não tenho notícia disso", respondeu ao ser questionado sobre sair do ministério. "Pretendo participar do fórum e não vou entregar o cargo".

Vélez disse ainda que "a única coisa insustentável é a morte" ao ser questionado se sua permanência seria insustentável.

Sobre críticas à gestão no MEC, o ministro disse que a saída é racionalidade.

Leia também:
Bolsonaro sugere saída de Ricardo Vélez Rodriguez do MEC
Defesa de 64 irrita militares, que pedem saída de Vélez do MEC 

No Lide, a uma plateia de empresários, ele defendeu foco do governo em alfabetização e ensino profissional, evitando temas polêmicos e ideológicos.

Após a palestra, Vélez falou com a imprensa por menos de dois minutos, somente no caminho de ida e volta até o banheiro. Depois, voltou ao auditório para ouvir as próximas palestras.

Bolsonaro, nesta sexta, indicou a saída do ministro. "Está bastante claro que não está dando certo. Ele é bacana e honesto, mas está faltando gestão, que é coisa importantíssima", disse o presidente em um café da manhã, nesta sexta (5), com jornalistas no Palácio do Planalto. A Folha estava entre os convidados.

Vamos supor que seja a saída dele (Vélez)". O presidente indicou ainda que não descarta reaproveitar o ministro em outra área do governo.

"Até segunda, vai ser resolvido, ninguém mais vai reclamar. Vélez é boa pessoa. Quem vai decidir sou eu. Segunda é o dia do fico ou não fico", disse o presidente.

Veja também

PF cumpre mandados de busca contra suspeitos de tentativa de invasão da sede da corporação
BRASÍLIA

PF cumpre mandados de busca contra suspeitos de tentativa de invasão da sede da corporação

Rachados, integrantes do União Brasil se reúnem a portas fechadas para decidir sobre eleição
PARTIDO

Rachados, integrantes do União Brasil se reúnem a portas fechadas para decidir sobre eleição