CPI da Covid

Natalia cita pesquisa de brasileiro: 'três em cada quatro mortes poderiam ter sido evitadas'

Epidemiologista e ex-reitor da Universidade Federal de Pelotas, Hallau aponta "fracasso no combate à pandemia"

Em pronunciamento, microbiologista e pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Natalia Pasternak.Em pronunciamento, microbiologista e pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Natalia Pasternak. - Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

A microbiologista Natalia Pasternak, durante depoimento à CPI da Covid no Senado, nesta sexta-feira (11), leu uma mensagem enviada a ela pelo professor epidemiologista Pedro Hallal, a respeito de um de seus estudos publicado na revista científica Lancet, que dá conta de que três a cada quatro mortes por Covid no Brasil foram causadas por condução do Governo Federal da pandemia.

Epidemiologista e ex-reitor da Universidade Federal de Pelotas, Hallau aponta nessa pesquisa que cerca de 180 mil mortes “não teriam acontecido se o Brasil não fosse um fracasso no combate à pandemia”, afirmou Pedro Hallal, ex-reitor da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), em entrevista a Marilu Cabañas, do Jornal Brasil Atual. 

O cientista garante que “não teriam acontecido caso o Brasil não fosse um fracasso no combate à pandemia”, explicando que esse cálculo significa que “três a cada quatro mortes no Brasil pela Covid-19 poderiam ter sido evitadas não fosse o governo federal e o Ministério da Saúde terem um trabalho tão vexatório no enfrentamento da pandemia”.

 

Veja também

Em dia de Moro suspeito no STF, Lula lembra dos dias na prisão: 'provação de fé'
Política

Em dia de Moro suspeito no STF, Lula lembra dos dias na prisão: 'provação de fé'

Ex-alunos da Faculdade de Direito do Recife pedem impeachment de Bolsonaro
Posicionamento

Ex-alunos da Faculdade de Direito do Recife pedem impeachment de Bolsonaro