Nelson Teich se reúne hoje com governadores do NE

Encontro estava marcado para o dia 23, mas foi adiado pelo próprio ministro

Paulo e TeichPaulo e Teich - Foto: Aluísio Moreira /SEI Marcello Casal Jr/Ag. B

A agenda de hoje, às 15h, por videoconferência, marcará o segundo encontro dos governadores do Nordeste com o ministro da Saúde, Nelson Teich. A expectativa dos gestores, desta vez, é por respostas. Isso porque, após a primeira reunião, como a coluna antecipou, realizada no último dia 20, os gestores teriam um segundo encontro com o auxiliar do presidente Jair Bolsonaro no último dia 23, mas ele acabou cancelado pelo ministro, que pediu mais tempo para estudar as demandas recebidas dos gestores nordestinos. Teich havia solicitado relatórios dos governadores sobre a situação de cada estado.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, finalizou o material a ser entregue sobre a situação da Covid-19 um dia após a primeira reunião com o ministro, conforme solicitado. Alguns governadores, entretanto, atrasaram o envio o que também teria motivado o adiamento do segundo encontro. Na primeira ausculta, Teich não chegou a aprofundar a conversa sobre nenhuma tomada de decisão. Dois dias após o encontro, ao conceder sua primeira entrevista depois da posse, o titular da Saúde comprometeu-se a entregar uma "diretriz completa depois dos ajustes" em relação ao relaxamento da quarentena, o que deveria ocorrer esta semana.

O ministro definiu o Brasil como "heterogêneo" e falou em diretriz "customizada". Na última segunda, voltou a realçar o caráter "heterogêneo" do País, mas avisou que não "haverá medida intempestiva" em relação ao isolamento social. Ontem, apontou "agravamento". Em relação a Pernambuco, Paulo Câmara, como a coluna cantara a pedra, já havia avisado que não tinha como flexibilizar o isolamento, citou o aumento do número de casos e a falta de respiradores. Ontem, Pernambuco registrou mais 366 infectados pelo novo coronavírus no intervalo de 24 horas. Passou a somar, assim, 5.724 pessoas com a Covid-19, e computou aumento do número de mortes em 58, passando a contabilizar um total de 508 mortes.

Promessa de 100 respiradores
Pernambuco havia solicitado 100 respiradores ao Ministério da Saúde até o final de abril. Desse total, 20 foram entregues ao Estado. Hoje, Paulo Câmara irá reforçar a demanda pelos equipamentos. No relatório que o governador preparou, constam casos confirmados, volume de óbitos, medidas implementadas e os esforços contabilizados. Além de respiradores, ele cobra EPIs e argumenta que é preciso aumentar a capacidade de testagem.

Amarelo> Ainda ontem, Nelson Teichele declarou que "o respirador é o grande problema". E realçou: "Não é um problema brasileiro, é mundial. A gente concorre com o mundo inteiro". O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, colocou, ontem, Pernambuco entre os estados que mais preocupam no momento, junto com São Paulo, Rio, Ceará e Manaus.

Equidistância> Em Pernambuco, as opiniões se dividiram sobre as nomeações de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal e de André Mendonça para o Ministério da Justiça. Danilo Cabral não faz objeção aos currículos, mas observa que pesa sobre Ramagem a "aproximação e intimidade familiar com a família Bolsonaro". O socialista argumenta que essa variável "pode trincar o que é atributo importante para o cargo: equidistância para apurar”.

Bons olhos> Silvio Costa Filho não acredita que “Ramagem vai suspender ou procrastinar investigações". Grifa que ele é concursado. Sobre André Mendonça, define como "quadro competente, que tem respeito do STF, pessoa correta, proba".

 

 

Veja também

Gilmar manda para PGR pedidos de investigação de conduta de Braga Netto sobre eleições de 2022
Eleições 2022

Gilmar manda para PGR pedidos de investigação de conduta de Braga Netto sobre eleições de 2022

Com reforma, Bolsonaro consolida 27 trocas na Esplanada dos Ministérios em dois anos e meio
Política

Com reforma, Bolsonaro consolida 27 trocas em dois anos e meio