[No Cafezinho] 'Montamos uma estratégia de pulverizar', diz Anderson Ferreira sobre 2020

Na avaliação do gestor, todo político precisa fazer com que o êxito da sua gestão se materialize em voto e ele relata ter passado por esse teste em 2018

Carol Brito, Anderson Ferreira e Renata Bezerra de MeloCarol Brito, Anderson Ferreira e Renata Bezerra de Melo - Foto: Folha de Pernambuco

A primeira eleição que ele disputou foi para a Câmara Federal, onde exerceu dois mandatos. Hoje, comanda a Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, preside do PR em Pernambuco e vai disputar a reeleição em 2020. Entrevistado do No Cafezinho desta semana, Anderson Ferreira, que também nutre planos majoritários para 2022, define o movimento do seu grupo político assim: "Montamos uma estratégia de pulverizar".

Ele detalha: "Hoje, estou como presidente do PR, André Ferreira (o irmão) é presidente do PSC. Essas duas siglas se uniram em prol de um projeto de dar amplitude a essa nova política, que, hoje, está no nosso Estado e identificamos alguns lugares estratégicos em Pernambuco, onde vai ter candidatura proporcional e também majoritária, tanto do PR como do PSC".

As duas siglas vão trabalhar juntas e têm no radar cidades como o Recife e Camaragibe, além de municípios do Agreste e Sertão. Em Jaboatão, pode ter adversários em potencial da Frente Popular. Prefere enfrentar Gleide Ângelo (PSB) ou João Paulo (PT)? "Não sei distinguir nomes. Podem vir todos para Jaboatão. É importante esse processo político", devolve o prefeito.

Mais uma vez sem dar voltas, pondera o seguinte: "Todo político precisa fazer com que o êxito da sua gestão se materialize em voto. Não vamos ser hipócritas".



Numa leitura rápida, ele contabiliza os números. No período de dois anos em que está à frente da Prefeitura de Jaboatão, enfrentou um ciclo de uma eleição estadual. Apoiou dois candidatos naquela disputa de 2018: o deputado estadual Manoel Ferreira, seu pai, e o deputado federal, André Ferreira, seu irmão.

"Ora, se todos falam da avaliação que tem Jaboatão e do bom êxito da nossa gestão, eu teria que materializar em voto e conseguir fazer isso numa transferência de voto, que você sabe que não é fácil", considera o republicano.

Daí, ele enumera: "André Ferreira, o deputado federal, teve 41 mil votos em Jaboatão, enquanto o filho (Betinho Gomes) do ex-prefeito (Elias Gomes), teve, lá, 7 mil votos ou 8 mil, se não me engano. O (candidato a) deputado estadual, Elias Gomes, que foi ex-prefeito, obteve 4 mil votos, enquanto nosso candidato a estadual teve 19 mil. Você há de convir que Cleiton Collins (PP), que sempre foi campeão de votos, que tinha tido 40 mil votos, caiu para 16 mil".

Anderson reforça: "Conseguimos materializar o êxito de gestão em transferência de votos e por que eu vou temer candidatos para essa disputa (2020)? Eu tenho que confiar no meu trabalho e acreditar que esse ciclo de mudança todo dia avança um pouco". O prefeito de Jaboatão adverte: "E não é nenhuma soberba quando falo de candidaturas". Garante que "saber ouvir" e que "não é dono da verdade".

Anderson falou desses e de outros temas, como a relação com o governo Paulo Câmara e com o governo Jair Bolsonaro. A íntegra da entrevista segue no vídeo.

Veja também

China também precisa da gente, diz Bolsonaro em meio a impasse sobre insumos de vacinas
Coronavírus

China também precisa da gente, diz Bolsonaro em meio a impasse sobre insumos de vacinas

Em reunião com chanceler da Índia em novembro, Ernesto criticou globalismo, mas não falou de vacina
Coronavírus

Em reunião com chanceler da Índia em novembro, Ernesto criticou globalismo, mas não falou de vacina