No colo de Temer e nas mãos da sociedade

A Frentas/PE também convocou ato, às 11h, de amanhã, em frente ao Fórum Rodolfo Aureliano, no Recife.

Google: processos contra Patriota são de interesse públicoGoogle: processos contra Patriota são de interesse público - Foto: Divulgação

É de iniciativa popular o pacote das 10 medidas de combate à corrupção. Foram coletadas, pelo Ministério Público Federal, 2,5 milhões de assinaturas de cidadãos que apoiam a causa. Ainda assim, 313 deputados federais votaram a favor de uma das emendas mais polêmicas entres as que foram apresentadas com a finalidade de modificar o texto original. A ampla maioria foi a favor de criar punição para juízes e membros do Ministério Público Federal por abuso de autoridade. Os “plantões” que representantes do MP fizeram, nos últimos dias, na Câmara Federal, não foram suficientes para sensibilizar os parlamentares, que emendaram o texto a ponto de desfigurá-lo. Se o diálogo com o Congresso se mostrou inviável, os procuradores da força-tarefa da Lava Jato decidiram, ontem, apelar à sociedade. Em entrevista, o procurador do MPF, Carlos Fernando dos Santos, chegou a dizer que a força-tarefa ameaça abandonar os trabalhos, caso, o que chamam de “proposta de intimidação de juízes e procuradores”, seja sancionada. Se para alguns parlamentares essa “renúncia” pode vir a soar interessante, a aposta do MPF, agora, é no poder de pressão da opinião pública. Para hoje, está marcada mobilização de membros do MP em frente ao STF, como a coluna cantara a pedra na última sexta-feira. A convocação partiu da Associação Nacional de Membros do Ministério Público (Conamp), da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e demais associações do MP e magistratura. Se não resta tanta esperança de fazer pressão no Senado, que, de quebra, emplacou, ontem, votação de requerimento de urgência relativo à matéria, o qual acabou derrubado, a expectativa maior, agora, é de uma pressão sobre o presidente Michel Temer. Cairá no colo dele sancionar o que os procuradores tacham de “golpe” à Lava Jato. No Senado, ontem, Aloysio Nunes fez o seguinte alerta: “Existe vida lá fora!”. Em outras palavras, adverte que o Congresso não pode dar as costas à opinião pública; mais ainda.

Engarrafamento
Juízes e promotores que pretendiam embarcar, hoje, reclamavam, ontem, que não havia mais voo disponível para Brasília. O movimento da categoria em reação à manobra da Câmara Federal parece ter engarrafado o trafégo aéreo. Sentimento da ruas também é de indignação. Nas redes sociais, proliferam-se posts irônicos.

Moucos > Procurador Geral do Ministério Público de Contas do Estado, Cristiano Pimentel faz a seguinte comparação: “Seria o mesmo que o povo, em 1993 (no plebiscito), votar pelo presidencialismo e o Congresso, quando fosse regulamentar, aprovasse a monarquia”.

Apressadinhos > Na Casa Alta, ontem, de Pernambuco, só o senador Armando Monteiro Neto foi contra o requerimento de urgência para votar o pacote anticorrupção. Humberto Costa e Fernando Bezerra Coelho foram a favor de apressar a votação.

Crítico > Defensor da Operação Lava Jato, o deputado Jarbas Vasconcelos chegou a criticar postura dos procuradores da força-tarefa, quando apresentaram denúncia contra Lula. À coluna, analisara que eles “carregaram muito nas tintas”.

Razões > Sobre o voto a favor da emenda relativa ao “abuso de autoridade”, Jarbas diz o seguinte: “No CNJ, se diz que um juiz que vende sentença e é pego acaba aposentado com salário integral. Que bela posição! Um procurador diz que Lula é formador de quadrilha, adjetivando. Tem que ter responsabilidade. Todos são iguais perante a lei. Por que juiz, procurador ou promotor devem ficar acima da lei?”.

Paralelo > Na análise dele, procuradores da força-tarefa estão “dando uma de Jânio Quadros”. E completa: “Estão fazendo ameaça, usada por Jânio, eu diria até que uma chantagem com a Casa, com o parlamento”.

Apesar de > Jarbas lembra que o Senado é a “Casa revisora”. E grifa: “As pessoas se esquecem disso”. Sugere: “Por que não levar inquietação, ansiedade para o debate lá?”. A Lava Jato é “operação exitosa”, diz e arremata: “Continuo acreditando nela”.

Veja também

'A vacina é que vai nos salvar, não é a ideologia, política ou processo eleitoral', diz Doria
COVID-19

'A vacina é que vai nos salvar, não é a ideologia, política ou processo eleitoral', diz Doria

PF investiga esquema de corrupção em liberação de licenças ambientais
Meio ambiente

PF investiga esquema de corrupção em liberação de licenças ambientais