No Dia Nacional dos Surdos, governo lança o projeto Libras Gov

Projeto Libras Gov vai criar novos sinais para a comunidade surda

Jair e Michelle Bolsonaro lançam o projeto Libras GovJair e Michelle Bolsonaro lançam o projeto Libras Gov - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

No Dia Nacional dos Surdos, o governo federal lançou, nesta quinta-feira (26), o projeto Libras Gov, que vai criar novos sinais para a comunidade surda. A solenidade de lançamento da medida, no Palácio do Planalto, teve a presença do presidente Jair Bolsonaro, da primeira-dama Michelle, de ministros e diversas autoridades.

Iniciativa da Presidência da República, em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e do Ministério da Educação, o Libras Gov tem o objetivo de possibilitar, via Língua Brasileira de Sinais (Libras), o acesso de cidadãos surdos brasileiros, profissionais intérpretes de Libras, comunidade surda, entre outros, a termos específicos do governo federal e a informações relacionadas ao campo dos três Poderes que compõem a República Brasileira.

O projeto está dividido em diversas etapas e a primeira delas, apresentada durante a cerimônia, consiste na produção e divulgação de vídeos apresentando os sinais que identificam as pessoas e funções do presidente da República, do vice-presidente da República, da primeira-dama, da segunda-dama, de ministros de Estado e do porta-voz. As demais autoridades serão incluídas nas fases seguintes do projeto. Os vídeos estarão disponíveis no portal e YouTube do Planalto, além das redes sociais do Governo Federal.

Leia também:
Faculdades privadas têm que adaptar aulas para pessoas com deficiência
Estudante escreve livro infantil sobre acessibilidade e inclusão
Mãe de menino com deficiência visual vence prêmio inédito

"Nesse projeto, todos terão acesso aos sinais criados por surdos que trabalham no governo e toda a sua equipe. Os surdos têm direito a adentrar às várias áreas do conhecimento", discursou, em Libras, a primeira-dama Michelle Bolsonaro, traduzida por uma intérprete. O presidente Jair Bolsonaro não falou na solenidade.

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, disse que uma das metas do governo é regulamentar a Lei Brasileira de Inclusão, aprovada em 2015. Ela classificou a cerimônia do Dia Nacional dos Surdos, com a presença do presidente da República, como um momento histórico. "Essa celebração aqui é para mandar um recado para o Brasil e para o mundo que nenhum surdo, nesse governo, ficará para trás", disse.
   
Homenagem
O Dia Nacional dos Surdos, comemorado em 26 de setembro, é uma homenagem à criação da primeira Escola de Surdos do Brasil, em 1857, no Rio de Janeiro, conhecida como Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines), atualmente vinculado ao Ministério da Educação (MEC). O mês de celebração é também chamado de Setembro Azul.

No Brasil, a Língua Brasileira de Sinais (Libras) é reconhecida como segunda língua oficial do país. Segundo dados de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem cerca de 10 milhões de pessoas surdas, o equivalente a 5% da população brasileira.

Veja também

STJ manda Justiça do Rio analisar pedido de liberdade de Cristiane Brasil
justiça

STJ manda Justiça do Rio analisar pedido de liberdade de Cristiane Brasil

Conversinha mole de ficar em casa é para os fracos, diz Bolsonaro
Coronavírus

Conversinha mole de ficar em casa é para os fracos, diz Bolsonaro