BRASIL

Nunes confirma presença na Marcha para Jesus; Boulos e Tabata vão na Parada do Orgulho LGBT+

Os pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo devem se dividir entre os principais eventos da agenda paulistana neste feriado de Corpus Christi

21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo na Avenida Paulista21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo na Avenida Paulista - Foto: Reprodução/ Facebook

Os pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo devem se dividir entre os principais eventos da agenda paulistana neste feriado de Corpus Christi. Enquanto o prefeito Ricardo Nunes (MDB) confirmou presença na Marcha para Jesus, nesta quinta-feira, 30, em um sinal de aproximação com o segmento evangélico e de viés conservador, os deputados federais Guilherme Boulos (PSOL) e Tabata Amaral (PSB) participam da Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo, marcada para o próximo domingo.

A reportagem procurou outros pré-candidatos que estão melhor colocados nas pesquisas. Nenhum deles sinalizou que pretende comparecer a um dos eventos. "Vou ficar em casa assistindo animes", declarou o deputado federal Kim Kataguiri (União Brasil). José Luiz Datena (PSDB) ainda não tem compromissos públicos desde que passou por cirurgia. Pablo Marçal (PRTB) negou a intenção de participar das agendas. A assessoria de Marina Helena (Novo) foi procurada, mas não se manifestou até esta notícia ser publicada.

A 32ª edição da Marcha para Jesus ocorre nesta quinta-feira, 30, a partir das 10h. A caminhada começa na estação da Luz e segue em direção à Praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira (FEB), próximo ao Campo de Marte. A organização informa que estão inscritas mais de 15 mil caravanas e oito trios elétricos acompanham o trajeto de cerca de três quilômetros e meio.

Na chegada, há um palco montado que reunirá os shows de cantores e bandas gospel como Aline Barros, Cassiane e Thalles Roberto. O evento foi realizado pela primeira vez em 1993, organizado pelo apóstolo Estevam Hernandes, da Igreja Renascer em Cristo. Conta com o apoio este ano da Prefeitura de São Paulo, da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da SPTrans, da SPTuris e da Polícia Militar.

Ricardo Nunes deve comparecer ao evento por volta das 14h, junto com o governador do Estado, Tarcísio de Freitas (Republicanos). A programação já reservou 15 minutos para a fala do governador; o prefeito também pode discursar ao público evangélico caso queira. Devem estar presentes ainda o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) André Mendonça.

A assessoria de Boulos declarou que o deputado não foi convidado Já Tabata disse que não compareceria ao evento porque é católica praticante e fará os ritos de Corpus Christi com a família e a sua comunidade, na Paróquia São Francisco Xavier, em Vila Missionária, "como todo ano ela costuma fazer".

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) também foi convidado, mas pode não ter representante. No ano passado, o governo federal foi representado pelo ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), Jorge Messias, que foi vaiado pelo público ao dizer "a pedido do presidente" que existem "homens e mulheres do Reino" em Brasília. O ministro frequenta a Igreja Batista. Recentemente, o governo também lançou a campanha "Fé no Brasil" como forma de se aproximar do segmento evangélico

Aliado de Nunes e Tarcísio, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) estará em Jundiaí nesta quinta, dando sequência ao tour pelo interior paulista para arrecadar doações para os atingidos pela enchente no Rio Grande do Sul. A mobilização marca as primeiras agendas do político depois de receber alta hospitalar para tratamento de uma doença de pele em Manaus e São Paulo, que lhe rendeu 13 dias de internação. A última vez que esteve na Marcha para Jesus foi em 2022, quando estava em pré-campanha pela reeleição.

Parada LGBT+ pede ‘voto consciente’ em 2024
A 28ª Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo ocorrerá no domingo, 2 de junho, com concentração a partir das 10h, na Avenida Paulista. Neste ano, a organização incentivou o público a comparecer de "verde-amarelo e arco íris" e adotou um mote político: "Basta de Negligência e Retrocesso no Legislativo: Vote consciente por direitos da população LGBT+". Segundo a Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, o dress code é para "celebrar o tema e a retomada dos nossos símbolos".

Boulos e Tabata, pré-candidatos do campo progressista, confirmaram presença no evento ao Estadão. A Prefeitura de São Paulo, por outro lado, afirmou que a agenda do prefeito no dia ainda não está fechada. Nunes, que costuma ser cobrado pelo campo conservador na pauta de costumes, nunca compareceu à Parada, apesar de o governo municipal ter gasto aproximadamente R$ 4,1 milhões nos eventos da Semana da Diversidade, incluindo a festa no domingo.

A assessoria de Tabata adiantou que a ideia da deputada é circular em meio ao público, sem necessariamente subir no palanque, e que essa sempre foi uma pauta presente em sua trajetória política. Boulos não deu mais detalhes sobre a sua participação até o momento.

Os organizadores, por outro lado, confirmaram que a programação conta com discursos antes da partida dos trios e que tanto Boulos quanto Tabata estão na prévia da lista. A etapa deve iniciar próximo das 11h e ser concluída até 12h30min. As deputadas Erika Hilton (PSOL-SP) e Duda Salabert (PDT-MG), as duas primeiras mulheres trans no Congresso, e o ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida, também estão escalados, assim como outros ativistas da comunidade LGBT+.

Pela primeira vez desde 1997, a Parada fará um trajeto diferente Devido às obras que acontecem no final da Avenida Paulista, na virada para a Rua da Consolação, os trios percorrerão o lado ímpar da avenida, e o público será orientado a seguir no evento pelas ruas Haddock Lobo e Bela Cintra. O evento terá 16 trios ao todo e atrações como Pabllo Vittar e Gloria Groove, além da bateria da Estrela do Terceiro Milênio, escola do grupo especial de São Paulo que homenageia a comunidade em seu samba-enredo de 2025.

Veja também

TSE mantém cassação do prefeito e do vice de São Caetano do Sul por fraude nas eleções 2016
ELEIÇÕES

TSE mantém cassação do prefeito e do vice de São Caetano do Sul por fraude nas eleções 2016

Banca inglesa tenta faturar no desastre da Samarco; confira a coluna deste sábado (22)
Cláudio Humberto

Banca inglesa tenta faturar no desastre da Samarco; confira a coluna deste sábado (22)

Newsletter