O sexto substituído e o tributo caro

De quebra, o Planalto não ofereceria obstáculos a anistia ao caixa 2, que a Câmara tenta aprovar

Debate com os candidatos ao Governo de PernambucoDebate com os candidatos ao Governo de Pernambuco - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Ex-vice-líder do governo da presidente cassada, Dilma Rousseff, o deputado Silvio Costa não precisou esperar muito para ter motivos. Referindo-se ao episódio envolvendo o ex-ministro da secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, disparou: “Não pode o presidente Michel Temer ficar lá para fazer negócio. Ele virou corretor de imobiliária”. O peemedebista Jarbas Vasconcelos, ainda que membro da base do governo e de boa interlocução com Geddel, não poupou olhar crítico, mas o fez sobre o formato como o Planalto conduziu o caso, envolvendo o ministro baiano - acusado de pressionar o ex-ministro Marcelo Calero a liberar a construção de um edifício em Salvador, vetado pelo Iphan. Na análise de Jarbas, o Governo Federal “vacilou ao não afastar de imediato o ex-ministro”. Ele calcula o seguinte: “O Governo pecou e, agora, paga um tributo muito caro e muito contundente com esse desgaste sofrido”. O contexto é fruto, diz Jarbas, “da falta de ações corretas e transparentes que o assunto merecia”. Do PSB, que se coloca como independente, o deputado federal Danilo Cabral diz assim: “A saída de Geddel é mais um episódio de desgaste do presidente Michel Temer. Seu governo, com apenas seis meses, está velho”. A resistência de Temer para demitir Geddel pontua um ciclo de seis meses de governo com seis ministros que precisaram ser substituídos. E, agora, governistas, os independentes e os oposicionistas concordam em um ponto: o governo errou.

De quebra, o Planalto não ofereceria obstáculos a anistia ao caixa 2, que a Câmara tenta aprovar

Em paralelo
No mesmo Hotel Royal Tulip, em Brasília, onde tem início, amanhã, o Seminário Nacional Saneamento Sustentável, cujo tema principal deve ser a privatização de estatais do setor, ocorrerá o evento Brasil Futuro, que reúne os 400 maiores empresários do País e terá o presidente Michel Temer na abertura.

Fiscal > O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida - convidado do Seminário LIDE, que será realizado, amanhã, no Empresarial MV - terá o vice-governador Raul Henry como anfitrião, ao lado de Drayton Nejaim e de André Farias. Ele dará coletiva às 10h45.

Emendas 1 > Secretário de Saneamento do Recife, o deputado estadual licenciado Alberto Feitosa lança, amanhã, uma proposta que versa sobre as emendas impositivas municipais durante o Congresso de Vereadores e Servidores de Câmaras Municipais, realizado pela União de Vereadores de Pernambuco (UVP).

Emendas 2 > O evento acontece até o dia 29, no auditório do Grand Mercure Summerville, na praia de Muro Alto, em Porto de Galinhas. A palestra de Feitosa será às 9h30.

De... > Prefeito eleito em Sertânia, o deputado estadual Ângelo Ferreira assume a prefeitura 20 anos depois do seu primeiro mandato como gestor do município e quer levar o Ensino Superior para a sua cidade.

...volta > Solicitou, ao reitor da UPE, Pedro Falcão, uma extensão da universidade, no município. A parceria com a Universidade já existe e, a partir de 2017, os estudantes contarão com cinco cursos de EAD.
Título > A advogada eleitoral, Virgínia Pimentel, recebe título de cidadã de Pernambuco, na Assembleia Legislativa, amanhã, às 18h. A proposição é da deputada Simone Santana.

Veja também

Quase 11 mil candidatos com patrimônio superior a R$ 300 mil receberam o auxílio emergencial
auxílio emergencial

Quase 11 mil candidatos com patrimônio superior a R$ 300 mil receberam o auxílio emergencial

Ministério Público pede que PF investigue ataque em que Arthur do Val relaciona Tatto ao PCC
política

Ministério Público pede que PF investigue ataque em que Arthur do Val relaciona Tatto ao PCC