Indenização

Odebrecht assina acordo com Ministério Público do Peru

O acordo se refere exclusivamente à pessoa jurídica e não inclui executivos

Premiação foi criada pelo vereador Hélio Guabiraba (sem partido)Premiação foi criada pelo vereador Hélio Guabiraba (sem partido) - Foto: Divulgação

 

A filial da Odebrecht no Peru emitiu nota, na última quinta-feira (5), confirmando a assinatura de termo de cooperação com o Ministério Público do País. A empresa se compromete a entregar, como garantia, 30 milhões de soles peruanos, o equivalente a R$ 28 milhões. A indenização a ser paga no Peru ainda será determinada. Na semana passada, o Peru proibiu a participação da Odebrecht em licitações.

Em nota, o Ministério Público do Peru afirma que a entrega antecipada de valores ao País é um fato inédito. Tal demanda foi condição imposta pelos procuradores peruanos para iniciar as conversas. O acordo se refere exclusivamente à pessoa jurídica e não inclui executivos. “A empresa se compromete a entregar informação e/ou documentação relevante que seja requisitada, mesmo que se encontre em outro país”, diz o Ministério Público.

A negociação começou em novembro e ganhou celeridade após a assinatura do acordo de leniência em que a Odebrecht pagou R$ 6,9 bilhões, entre Brasil, EUA e Suíça. O acordo com o Peru é o primeiro de uma série que a Odebrecht pretende assinar com todos os países citados pelo governo dos EUA.

A empresa foi surpreendida com a decisão do Departamento de Justiça de divulgar os nomes dos países afetados sem aviso prévio, o que provocou uma reação em cadeia de governos contra a empresa, proibindo-a de participar de licitações. O acordo peruano já estava bastante adiantado e os outros começarão a ser negociados agora.

 

Veja também

Documento contradiz Pazuello, que nega ter recomendado cloroquina
Saúde

Documento contradiz Pazuello, que nega ter recomendado cloroquina

Militares decidem se povo viverá na democracia ou na ditadura, diz Bolsonaro
Brasil

Militares decidem se povo viverá na democracia ou na ditadura, diz Bolsonaro