Operação Caixa de Pandora incendeia disputa em Jaboatão

Manoel Neco, candidato a prefeito do município, foi alvo de buscas em sua casa

X-MEN: FÊNIX NEGRAX-MEN: FÊNIX NEGRA - Foto: Reprodução/Adoro Cinema

Não bastasse o clima de acirramento travado entre os candidatos à Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes nos debates, uma operação deflagrada pela Polícia Civil (PC), na última sexta-feira (14), atingiu as postulações de Anderson Ferreira (PR) e Manoel Neco (PDT) e colocou mais emoção nesta reta final de campanha.

Intitulada Operação Caixa de Pandora, a ação atingiu diretamente o candidato Neco, o seu vice Belarmino Silva (PTdoB) e o candidato a vice-prefeito pela chapa do PR, Ricardo Valois (PR). Ambos os postulantes e os outros 16 vereadores são investigados por envolvimento em esquema de peculato, abandono de cargo público, falsificação de documento público e associação criminosa, que funcionava através da contratação de funcionários fantasmas.

No começo da manhã da sexta-feira, Neco foi surpreendido por policiais civis em sua residência, no bairro de Cajueiro Seco, quando dava entrevista ao programa Folha da Manhã, da Rádio Folha FM 96,7. Na ocasião, foram apreendidos R$ 177 mil, que estavam escondidos em um armário e em uma lixeira. Em nota, a assessoria do postulante afirmou que “toda a verba encontrada em sua residência é de origem lícita. Grande parte foi de empréstimo retirado junto à instituição financeira e o restante de aluguéis que recebe mensalmente de bens alugados. Inclusive seus advogados já estão estudando o pedido de restituição de todo valor junto à Justiça”.

Horas depois, o candidato concedeu entrevista coletiva e classificou a operação como uma “armação” e lamentou a utilização do episódio para fins eleitorais. “Eu quero afirmar a esse povo que essa operação está cheirando a uma grande armação”, declarou o postulante.

Posteriormente, em nota encaminhada à Imprensa, ele ressaltou ser ficha limpa e que não se curvará ao poder político e econômico que está por trás do episódio. “Quando uma pessoa do povo e que está prestes a ser prefeito de um município, as elites fazem de tudo para impedir que isso aconteça”, emendou o pedetista.

A Coligação Muda Jaboatão, de Anderson Ferreira, também emitiu uma nota de apoio à “investigação e à rigorosa apuração procedida pelo Ministério Público e pela Polícia. E têm a certeza de que a justiça será feita nesse casão envolvendo vereadores de Jaboatão”.

Já Ricardo Valois afirmou que “já foi presidente da Câmara de Jaboatão e teve todas as contas aprovadas”. Ele informou, ainda, que “nenhum documento ou fato foi encontrado em sua residência, que venha a desabonar a sua conduta”.

Governador

O governador Paulo Câmara (PSB) comentou sobre a Operação Caixa de Pandora e sobre o envolvimento de Neco (PDT) no esquema criminoso. “Há um apoio do PSB municipal em relação à candidatura do Neco. Essa operação foi determinada pela Justiça e não cabe a nós questionar. Apenas é importante não pré-julgar”, explicou Câmara.

Operação

Na sexta-feira, 354 policiais cumpriram 48 mandatos de bus­ca e apreensão. Três pessoas foram autuadas por crimes previstos no Estatuto do Desarmamento, entre elas, dois vereadores do município, que pagaram fiança e vão responder em liberdade. Na ação, foram apre­endidos, ao todo, R$ 303 mil em dinheiro.

Os materiais recolhidos, que incluem três armas de fogo (uma pistola, e dois revólveres), dezenas de computadores, aparelhos celulares e centenas de documentos, foram encaminhados ao Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), em Afogados. A Polícia Civil convocou uma entrevista coletiva para a próxima terça-feira (18), às 9h30, no Depatri.

Veja também

Para agradar centrão, senadores aliados do governo Bolsonaro tentam ressuscitar showmícios
Brasil

Para agradar centrão, senadores aliados do governo Bolsonaro tentam ressuscitar showmícios

Comissão do impeachment de Witzel aprova retomada do prazo de defesa
rio de janeiro

Comissão do impeachment de Witzel aprova retomada do prazo de defesa