Operação investiga Pezão e cumpre mandados no Rio de Janeiro

Ao menos duas pessoas já foram presas por policiais civis do Departamento Geral de Combate à Corrupção ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro

Ex-governador do RJ, PezãoEx-governador do RJ, Pezão - Foto: Marcelo Sayão

A Polícia Civil do Rio de Janeiro cumpre nesta sexta (29) quatro mandados de prisão temporária e 26 de busca e apreensão contra suspeitos de integrarem um esquema de fraudes em licitações estaduais. Batizada de Operação Cerco, a ação é um desdobramento da Operação La Casa de Papel, que apura fraudes em pregões eletrônicos para a compra de resmas de papel em diversos órgãos estaduais no ano de 2018.

Um dos investigados na operação é o ex-governador Luiz Fernando Pezão. Procurada pela Agência Brasil, a defesa de Pezão disse que vai estudar o caso antes de se pronunciar. Além das buscas e prisões, a Vara Especializada de Combate ao Crime Organizado do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou o bloqueio de contas dos investigados e suas empresas, no valor de até R$ 241 milhões.

Leia também:
PF deflagra 2ª fase de operação contra fraude em licitação e corrupção no Amapá
Gestores divulgam nota em defesa do secretário de Saúde do Recife, alvo de operação da PF
Cabral volta a citar propina a Pezão, que nega e diz que prisão foi violência


Ao menos duas pessoas já foram presas por policiais civis do Departamento Geral de Combate à Corrupção ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR-LD). Documentos e celulares foram apreendidos para análise.

Segundo a Polícia Civil, consta na investigação que a Controladoria Geral do Estado identificou uma movimentação financeira suspeita de R$ 925 mil ligada às fraudes.

Veja também

Primeira reunião da CPI da Covid-19 será realizada depois do feriado

Primeira reunião da CPI da Covid-19 será realizada depois do feriado

Senador Flávio Bolsonaro sofre acidente de quadriciclo no Ceará e lesiona o ombro
Política

Flávio Bolsonaro sofre acidente de quadricíclo no Ceará