Operação Lava Jato: Justiça Federal bloqueia bens da Odebrecht e OAS

O pedido de bloqueio foi solicitado pela Advocacia-Geral da União (AGU) para garantir o ressarcimento dos cofres públicos

Mendonça, Armando e Bruno se pronunciam após resultadoMendonça, Armando e Bruno se pronunciam após resultado - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

A Justiça Federal em Curitiba determinou o bloqueio dos bens das empreiteiras Odebrecht e OAS, empresas investigadas na Operação Lava Jato. De acordo com a decisão, as construtoras deverão depositar mensalmente em juízo a quantia de 3% do faturamento, valor referente ao percentual de propina que teria sido cobrada em contratos da Petrobras.

O pedido de bloqueio foi solicitado pela Advocacia-Geral da União (AGU) para garantir o ressarcimento dos cofres públicos após decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), que apontou superfaturamento de R$ 2,1 bilhões nas obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

O bloqueio também atinge o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, e o ex-diretor da Petrobras Renato Duque. No caso dos acusados, veículos, obras de arte e outros bens móveis ficarão indisponíveis. A Agência Brasil entrou em contato com as empreiteiras e aguarda retorno.

Veja também

Jair Bolsonaro comunicou a ministros da corte que indicará Kassio Nunes para o tribunal
justiça

Jair Bolsonaro comunicou a ministros da corte que indicará Kassio Nunes para o tribunal

Escolha de ministros para STF tem semelhanças com indicação de juiz para Suprema Corte dos EUA
política

Escolha de ministros para STF tem semelhanças com indicação de juiz para Suprema Corte dos EUA