Operação Calígula

Operação que mirou Rogério de Andrade e Ronnie Lessa vazou, revela MP

Foram alvos de denúncia um total de 30 pessoas, pelos crimes de organização criminosa, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ)Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) - Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil

Promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) afirmaram na tarde desta terça-feira, durante uma coletiva na sede do Ministério Público do Rio, no Centro, que a Operação Calígula, que culminou na prisão dos delegados Marcus Cipriano e Adriana Belém, vazou.

A promotoria chegou a esse consenso após encontrar na casa de um dos alvos a decisão de prisão assinada pelo juiz Bruno Ruliere.

Deflagrada nesta terça-feira contra organização criminosa liderada por Rogério de Andrade e seu filho Gustavo de Andrade, e integrada por dezenas de outros criminosos, incluindo Ronnie Lessa, a operação Calígula tem como objetivo o cumprimento de 29 mandados de prisão e 119 de busca e apreensão, incluindo quatro bingos comandados pelo grupo.

Foram alvos de denúncia um total de 30 pessoas, pelos crimes de organização criminosa, corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Veja também

Ministro da Justiça diz que não conversou com Bolsonaro sobre investigação da PF em viagem aos EUA
Política

Ministro da Justiça diz que não conversou com Bolsonaro sobre investigação da PF em viagem aos EUA

Com ou sem Bolsonaro, Arthur Lira se articula para novo mandato em 2023
Política

Com ou sem Bolsonaro, Arthur Lira se articula para novo mandato em 2023