Padilha defende nome único do governo

Ministro citou como alternativa o nome de Meirelles e o de Maia

Eliseu Padilha Eliseu Padilha  - Foto: Divulgação

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, defendeu nesta quinta (1º) que o Palácio do Planalto tenha um candidato único da base aliada para a disputa presidencial deste ano. Ele citou como alternativas o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e disse que ainda é cedo para afirmar que ambos não têm viabilidade eleitoral.

Pesquisa Datafolha mostrou que nenhum dos dois alcança individualmente 3% das intenções de voto, o que frustrou a equipe do presidente. "Nós estamos esperando para ver se haverá alguém da base do governo que consiga ter desempenho melhor nas pesquisas eleitorais", disse.

Leia também:
Sem Lula, Bolsonaro lidera e disputa por vaga no segundo turno se acirra
Para o PT, Datafolha mostra que excluir Lula é cassar o direito de voto da maioria
Após Datafolha, Lula decide antecipar lançamento de pré-candidatura

No Rio, o ministro Carlos Marun (Governo), disse que a condenação do ex-presidente Lula em segunda instância e o que ele chamou de enfraquecimento de Jair Bolsonaro (PSC-RJ) poderão abrir espaço para que três possíveis candidatos governistas disputem simultaneamente a eleições, adicionando a eles o tucano Geraldo Alckmin (SP).

"Quando havia dois candidatos despontando, que eram o Lula e o Bolsonaro, eu entendia que para sermos fortes e disputarmos o segundo turno precisaríamos nos unir em torno de um candidato forte. Agora, não. Há espaço para mais de uma candidatura do nosso grupo", disse.

Veja também

Nena Cabral quer construir três novas unidades de saúde no Paulista
Eleições 2020

Nena Cabral quer construir três novas unidades de saúde no Paulista

Carlos quer explorar potencial turístico dos mercados públicos do Recife
Eleições 2020

Carlos quer explorar potencial turístico dos mercados públicos do Recife