POLÍTICA

Padilha vê "ambiente positivo" para aprovação de Zanin e conversará com partidos sobre ministérios

A troca dada como certa é no comando do Ministério do Turismo, hoje chefiado por Daniela Carneiro

Ministro das Relações Institucionais, Alexandre PadilhaMinistro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais) afirmou nesta segunda-feira que continuará a conversar com partidos que comandam ministérios sobre possíveis trocas nas lideranças das pastas. O ministro afirmou que as possíveis mudanças estão "na pauta do governo" e que o foco principal é o União Brasil.

— Conversamos com o presidente Lula das reuniões que devemos fazer com líderes de vários partidos, sobretudo do União, para continuar conversando sobre o desejo manifestado de reformulação dos ministérios indicados. Está na pauta do governo e devemos tratar próximos dias — afirmou Padilha na saída do Palácio da Alvorada, após reunião com presidente Lula.

A troca dada como certa é no comando do Ministério do Turismo, hoje chefiado por Daniela Carneiro. Na semana passada, a ministra ganhou uma sobrevida no governo após reunião com Lula. O partido quer que a pasta seja comandada pelo deputado Celso Sabino (União-PA), mas não garantiu fidelidade com apenas essa troca sendo concretizada.

Lula tem se empenhado para que a saída da aliada ocorra da forma menos traumática possível. Ao mesmo tempo, o marido de Daniela, Waguinho, prefeito de Belford Roxo (RJ), tenta obter contrapartidas do governo com nomeações de cargos no Rio e liberações de recursos.

Aliados de Lula, enquanto isso, tentam convencer Daniela a pedir demissão como uma saída honrosa diante da pressão do União Brasil. O ministro Padilha, no entanto, negou que haja qualquer pressão sob a ministra neste aspecto.

O grupo político de Daniela entrou em litígio com o União. Após divergências, Waguinho trocou o partido pelo Republicanos. A ministra pediu ao Tribunal Superior Eleitoral para também deixar o partido.

Padilha também negou que o presidente da Câmara, Arthur Lira, tenha pedido qualquer ministério da esplanada como moeda de troca para solidificar o apoio ao governo na Câmara. O ministro afirmou ainda que o presidente não colocou a Saúde como cota de partido algum.

"Em nenhum momento o Arthur Lira reivindicou nenhum ministério, temos que ser justo quanto a isso", afirmou, completando: "Queremos posicionar claramente que o presidente Lula em nenhum momento colocou o Ministério da Saúde como cota de nenhum partido".

Veja também

Lira diz que em dois dias Câmara 'já serenou um pouco'
DECORO

Lira diz que em dois dias Câmara 'já serenou um pouco'

97% discordam totalmente da PL 1904, segundo enquete da Câmara
VOTAÇÃO

97% discordam totalmente da PL 1904, segundo enquete da Câmara

Newsletter