Palácio joga com o tempo, Armando também

Armando assinala: “Não discutimos alianças porque eles ainda estão no PSB. Não sei ainda que destino vão tomar”

Miguel Coelho e Fernando Bezerra receberam Armando Monteiro e integrantes da oposiçãoMiguel Coelho e Fernando Bezerra receberam Armando Monteiro e integrantes da oposição - Foto: Ivaldo Reges/Divulgação

Em política, os gestos contam na construção das relações e alianças. Hoje, o governador Paulo Câmara fará um ao grupo do senador Fernando Bezerra Coelho: marcará presença no casamento do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho. O encontro se dará dois dias após os Coelho posarem para foto com principal adversário do socialista, o senador Armando Monteiro, que, por sua vez, segue cumprindo agendas no Sertão do Estado e não estará na cerimônia. No Palácio das Princesas, no entanto, a regra é: “não entrar na ansiedade de ninguém”. Palacianos avaliam que tudo tem seu tempo e ainda que Fernando Bezerra acene a adversários do governo, isso não terá o efeito de pressionar o governador. Uma variável que passou a pesar para que as relações ficassem ainda mais instáveis foi o governo Michel Temer. Em outras palavras, Fernando Filho ocupa espaço na Esplanada e tem ao seu lado deputados que votam alinhados com o Planalto, o que provocou um estresse intenso junto à presidência nacional do PSB.

 Paulo Câmara passou a atuar como bombeiro, mas o grupo de FBC não esconde que sente falta de ações mais práticas e enérgicas. O desencontro não fica por aí. Nos bastidores, há quem relate que o incômodo dos Coelho vem desde a montagem do governo Paulo Câmara. Compara-se, inclusive, o fato de Kaio Maniçoba ter sido nomeado secretário jovem com o fato de um convite a Fernando Filho, na época, ter sido repensado em função da idade. “São dois pesos e duas medidas?”, indaga um socialista em reserva, externando as cicatrizes. Da forma que o Palácio reforça que “tudo tem seu tempo”, o senador Armando Monteiro defende o mesmo: “Não tenho ansiedade. Tem que dar tempo ao tempo e deixar as coisas evoluírem”. Há prazo, inclusive, para que o cenário nacional torne-se mais claro e passe a interferir no processo das alianças locais. Até lá, sobram conversas e gestos e o casamento de Miguel, hoje, será uma vitrine para isso.

“Silvio é outro CPF”
Ainda que o deputado Silvio Costa tenha minimizado o encontro entre Armando e os Coelho, tratando como uma visita de cortesia e defendendo aliança do petebista com o PT, isso não inviabiliza eventual composição dos dois senadores, segundo Armando. “Sílvio é outro CPF, tem a avaliação dele”, diz o petebista.

Um cenário : Armando defende que política “em grande medida, são conversas” e pondera: “Silvio tem uma opinião que ele vem externando, de que o campo nosso preferencial é até, quase que exclusivo, com o PT”.

Plano B :
O senador, no entanto, adverte: “Legitimamente, o PT pode escolher outro caminho, de uma candidatura própria. Não é hora de decidir nada”.

Ateando... :
O aumento de impostos anunciado pelo governo Temer provocou críticas de Danilo Cabral. “Ao elevar a carga tributária através do preço dos combustíveis, o governo está apagando o incêndio político em que está metido com gasolina”.

...fogo : Danilo segue: “Promove austeridade para as camadas que já sofrem com altos impostos, quando o caminho seria taxar as grandes fortunas e os dividendos de grandes empresas”.

Fórum : Pio Guerra reúne 12 lideranças do setor agropecuário, no Fórum das Secas, hoje, no Hotel Golden Tulip, às 8h30. No encontro, promovido pela Faepe e Sebrae, o professor da Universidade Rural da Bahia, Francisco Pereira, fala sobre “Sustentabilidade na Agricultura Irrigada no Semiárido do NE”.

Veja também

Prefeito do Recife, João Campos, testa positivo para Covid-19
Coronavírus

Prefeito do Recife, João Campos, testa positivo para Covid-19

Tribunal abre brecha para reduzir pena tricentenária de Sérgio Cabral
Política

Tribunal abre brecha para reduzir pena tricentenária de Sérgio Cabral