Para arrefecer crise, Cármen Lúcia convida Temer a discursar em evento

Pronunciamento de um presidente da República não é feito na solenidade oficial desde 2013

Presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen LúciaPresidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Para tentar arrefecer a recente crise entre Judiciário e Executivo, a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cármen Lúcia, convidou o presidente Michel Temer para discursar na abertura do Ano do Judiciário, nesta quinta-feira (1º).

O pronunciamento de um presidente da República não é feito na solenidade oficial desde 2013. No ano passado, o emedebista não foi nem mesmo convidado para o evento, o que gerou mal-estar. O Palácio do Planalto ainda não confirmou se o presidente fará uso da palavra.

Leia também:
Cármen Lúcia nega dois habeas corpus em favor de Lula
Temer diz que reforma da Previdência 'não é bicho-papão'


A gestão de Cármen Lúcia tem protagonizado episódios de crise com a administração de Michel Temer desde que ele assumiu o Palácio do Planalto, em maio de 2016.
A última delas ocorreu na semana passada, quando a ministra suspendeu temporariamente a posse da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para o comando do Ministério do Trabalho.

No final do ano passado, a ministra também havia suspendido parcialmente indulto natalino criado por Temer. Os dois episódios geraram irritação no presidente, que critica Cármen, nos bastidores, de tentar avançar sobre as competências do Executivo.

A aproximação da ministra acontece no momento em que se retomam as discussões sobre a reforma previdenciária. Antes do mal-estar, Cármen chegou a procurar Temer para que discutissem as mudanças nas aposentadorias.

Convidados
Além de Temer, foram convidados o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). As presenças da procuradora-geral Raquel Dodge e do presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Claudio Lamachia, já foram confirmadas. Eles devem discursar.

As assessorias de imprensa de Eunício e Maia informaram ao cerimonial do Supremo que eles não devem discursar. Em 2008, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou da abertura do Ano Judiciário e discursou. Temer foi em 2013 e em 2012 representando a então presidente, Dilma Rousseff, de quem era vice, e em 2010, como presidente da Câmara.

Os ministros do STF voltam a trabalhar nesta quinta-feira (1º) após 42 dias de férias. A primeira sessão de julgamentos está marcada para 14h. Os ministros devem voltar a discutir a decisão que suspendeu a proibição da venda de cigarros com sabor.

De noite, às 19h, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) retoma os trabalhos. Na pauta estão decisões liminares (em caráter provisório) dadas pelo presidente do tribunal, Gilmar Mendes, ao ex-governador do Rio Anthony Garotinho e pessoas ligadas a ele.
Em dezembro, Gilmar soltou Garotinho, que foi preso pela última vez em novembro, em um desdobramento da Operação Chequinho.

Veja também

Quase 11 mil candidatos com patrimônio superior a R$ 300 mil receberam o auxílio emergencial
auxílio emergencial

Quase 11 mil candidatos com patrimônio superior a R$ 300 mil receberam o auxílio emergencial

Ministério Público pede que PF investigue ataque em que Arthur do Val relaciona Tatto ao PCC
política

Ministério Público pede que PF investigue ataque em que Arthur do Val relaciona Tatto ao PCC