Para Michel Temer, menor dependência externa de combustível deve evitar futuras greves

Em cerimônia pelo Dia Internacional do Meio Ambiente, Michel Temer ressaltou que a redução na importação de combustíveis, meta prevista para ser adotada em dez anos

Presidente Michel Temer Presidente Michel Temer  - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira (5) esperar que a diminuição da dependência do Brasil na importação de combustíveis evite futuras greves nacionais pela redução do preço de derivados do petróleo. Em cerimônia pelo Dia Internacional do Meio Ambiente, ele ressaltou que a redução de 11,5% para 7% na importação de combustíveis, meta prevista para ser adotada em dez anos, deixará o país menos exposto às variações internacionais do câmbio e do barril.

"Nós vamos reduzir de 11,5% a 7% a nossa dependência externa de combustíveis. O Brasil estará menos exposto à variação internacional do preço do petróleo e às mudanças cambiais. Portanto, quem sabe, em um futuro muito próximo, consigamos evitar acontecimentos como o que se verificou na semana passada", disse. No evento, o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, reconheceu que as variações diárias do preço da gasolina pressionam o governo federal e defendeu que o valor do combustível seja reduzido nas bombas dos postos de gasolina.

"[Há] O compromisso do governo brasileiro com a qualidade de vida no mundo, com a melhoria das nossas condições de vida, com a possibilidade de baixar o preço do combustível, que nos fica pressionando e, às vezes, até nos captura, como recentemente fomos capturados", disse. Na manhã desta terça-feira (5), o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, negou que o governo federal esteja estudando qualquer programa de subsídio para reduzir o preço da gasolina.

Leia também


"Nós não estamos discutindo nenhum programa de subsídio para a gasolina. Quando nós anunciamos a solução para problema do diesel, deixamos absolutamente claro que não temos espaço fiscal", afirmou. No evento, o presidente assinou as metas da Política Nacional de Biocombustíveis, que, além de prever a redução da dependência externa, estabelece uma diminuição em 10% nas emissões de gases causadores do efeito estufa.

Veja também

Travessia de Dino é vista como sinal contra a Federação
Folha Política

Travessia de Dino é vista como sinal contra a Federação

Planalto aposta em combo para a reeleição de Bolsonaro
Edmar Lyra

Planalto aposta em combo para a reeleição de Bolsonaro