PERNAMBUCO

Paulo Câmara decreta situação de emergência em Pernambuco e libera R$ 100 milhões para ações

Recursos serão destinados à assistência às vítimas, obras urgentes e de infraestrutura 

Paulo Câmara em coletiva de imprensa, na sede da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac)Paulo Câmara em coletiva de imprensa, na sede da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) - Foto: Artur Ferraz/Folha de Pernambuco

O governador Paulo Câmara decretou situação de emergência em Pernambuco por conta das chuvas. O gestor disponibilizou R$ 100 milhões para o trabalho de busca e salvamento, obras urgentes e de infraestrutura nos municípios mais atingidos. Os recursos estarão disponíveis para as prefeituras já nessa semana. Com o decreto de situação de emergência os municípios atingidos podem acessar os recursos do Sistema Nacional de Defesa Civil.

"Esse montante é o que estamos liberando de forma emergencial. Ainda temos previsão de continuidade das chuvas e os trabalhos de buscas de pessoas soterradas em 12 pontos da Região Metropolitana do Recife. A determinação para a Secretaria de Defesa Social e o Corpo de Bombeiros é que nossas equipes permaneçam nos locais até que a última vítima seja resgatada", afirmou o governador.

O número de pessoas mortas em consequência das chuvas atingiu 79. Além disso, há o registro de 3.957 pessoas desabrigadas, sobretudo nos municípios da Região Metropolitana do Recife e na Zona da Mata Norte, regiões mais atingidas pelas chuvas. 

 

O grande impacto causado pelas chuvas, fez com que até agora 15 municípios decretassem Situação de Emergência, entre eles: Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Igarassu, São José da Coroa Grande, Moreno, Nazaré, Macaparana, Cabo de Santo Agostinho, São Vicente Ferrer, Paudalho,  Paulista, Goiana, Timbaúba e Camaragibe.

Veja também

Pesquisa Opus: Marília com 34% e Miguel avança para segundo, com 13%
Blog da Folha

Pesquisa Opus: Marília com 34% e Miguel avança para segundo, com 13%

Bolsonaro volta a criticar carta pró-democracia: "Pessoal faz uma onda para tentar atingir a mim"
Ato pela democracia

Bolsonaro volta a criticar carta pró-democracia: "Pessoal faz uma onda para tentar atingir a mim"