Paulo Câmara diz que PE não pode ser afetado pelo RJ

Governador diz que Estado não pode pagar preço da briga entre União e cariocas e afirmou esperar que Temer não tome decisões equivocadas

Carteira de trabalhoCarteira de trabalho - Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

 

Após o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ameaçar cortar a liberação das operações de crédito para os Estados, o governador Paulo Câmara (PSB) reagiu ao afirmar que Pernambuco não pode ser afetado por conta da briga judicial entre o Rio de Janeiro e o Governo Federal.

O gestor afirmou que espera que o presidente Michel Temer (PMDB) não tome uma decisão prejudicando os estados em virtude da situação do estado carioca. Segundo ele, Pernambuco já conta com a liberação de R$ 600 milhões de crédito em seu planejamento para concluir obras. A suspensão , disse, prejudicaria o exercício financeiro do Estado.

"Não podemos botar um País tão grande como o Brasil em uma questão pontual que é a situação do Rio de Janeiro, que nos preocupa, mas que não pode ser colocada dentro do mesmo contexto (dos outros estados). A tomada de decisões, no desespero que o Rio de Janeiro está fazendo, não tem relação com a gente", avaliou Paulo Câmara, após assinatura de Termo de Compromisso para liberação de recursos para o desenvolvimento rural.

O ministro Meireles ficou irritado com os constantes recursos do Governo do Rio no Supremo Tribunal Federal (STF) , que impediaram o bloqueio de repasses de recursos ao Estado, em razão de dívidas não pagas.

Segundo Câmara, Pernambuco fez o dever de casa ao pagar suas dívidas pontualmente e não questionar as contrapartidas exigidas pelo Governo Federal. "Acredito que o governo não vai tomar uma decisão prejudicando outros estados em virtude de questoes pontuais do Rio de Janeiro. É o que eu defendo e acho que o Governo Federal vai pesar".

De acordo com ele, Pernambuco vem conseguindo destravar obras e investimentos importantes com a nova gestão que estavam travadas no Governo Dilma. No entanto, ele voltou a defender que o presidente Michel Temer priorize o Nordeste para não criar desigualdades.

Secretariado
Ele afirmou, ainda, que espera anunciar até o fim do mês os novos titulares das secretarias de Desenvolvimento Econômico e Desenvolvimento Social. E revelou que o comando de Suape dependerá do perfil do novo secretário de Desenvolvimento Econômico. Nas últimas gestões, o titular da pasta acumulou o comando do complexo portuário, mas a lógica pode ser alterada.

Sobre a participação de partidos, o governador disse estudar uma rearrumação de forças da sua base aliada, mas que ela depende do que for melhor para o funcionamento do governo. "Eu vou fazer isso com muita calma e transparência, conversando com partidos sem afobação. Se o govverno funcionar bem com ampliação ou não dos partidos parceiros, a gente vai fazer. Não vou colocar isso como condição", ponderou.

 

Veja também

Bolsonaro diz buscar partido para 'chamar de meu' e cogita filiação ao PP, símbolo do centrão
Partido

Bolsonaro diz buscar partido para 'chamar de meu' e cogita filiação ao PP, símbolo do centrão

Começa o funeral do presidente assassinado do Haiti, Jovenel Moise
HAITI

Começa o funeral do presidente assassinado do Haiti, Jovenel Moise