Paulo Câmara: 'Não temos como flexibilizar no momento!'

Governador admite que 'aumenta a pressão'

Paulo CamaraPaulo Camara - Foto: Foto: Aluísio Moreira /SEI

No dia em que o governador de São Paulo. João Doria, anunciou a reabertura gradual da economia a partir do dia 11 de maio, o novo ministro da Saúde, Nelson Teich, foi indagado também, em coletiva de Imprensa ontem, sobre relaxamento do isolamento. Teich disse o seguinte: "Não tenho como te dar isso agora. Daqui a uma semana, a gente entrega diretriz completa depois dos ajustes". Teich argumentou que o Brasil é "heterogêneo" e que uma diretriz vai precisar ser "customizada" de acordo com os diferentes estados. O titular da Saúde já havia sido questionado sobre o tema na última segunda-feira durante reunião com os governadores do Nordeste.

Quem quis saber sobre o assunto foi o governador de Pernambuco, Paulo Câmara. Ontem, ao término da entrevista, Teich grifou que, desde a sexta-feira, mandou distribuir respiradores para: Ceará, Amazonas, Pernambuco e Rio de Janeiro. Em Pernambuco, chegaram 20 no último final de semana. Mas ainda não são suficientes, segundo o governador, para o Estado que ocupa o terceiro lugar do País em número de óbitos por Covid-19 e tem 98% dos leitos de UTI da rede pública ocupados com casos confirmados e suspeitos. Indagado pela coluna se a iniciativa de Doria poderia influenciar o Estado, Paulo Câmara devolveu: "Aumenta a pressão, mas sem respiradores e com o aumento do número de casos, não temos como flexibilizar no momento!". Ontem, conforme boletim divulgado pela Secretaria de Saúde, Pernambuco teve o maior número de casos já registrado em 24 horas: 390 novos casos.

Piloto de Paulo e Steffanni
A lei que autorizou o Estado a contratar US$ 100 milhões junto ao BIRD, para implementação do Programa Pernambuco Rural Sustentável, é de 2010. A contratação da operação é de 2012. Mediante alterações do dólar, restou um excedente de US$ 18 milhões e esse montante é vinculado ao ProRural, atualmente comandado por Márcio Stefanni. Diante da Covid-19, Stefanni e Paulo Câmara tiveram a ideia de recorrer a esse valor para empregá-lo no enfrentamento da crise do novo coronavírus.
Fazendo... > A proposta de redirecionar os recursos precisava de autorização da Alepe. Ontem, as comissões de Justiça e de Administração da Casa aprovaram o pedido do Executivo, que fora publicado no DO do último sábado. O referido projeto de lei é o 1087/2020, que altera a Lei nº 14.145, de 1º de setembro de 2010.
...escola > O modelo pensado por Pernambuco ao recorrer a esse saldo do BIRD já foi transmitido à Paraíba, que tende a empregar o mesmo instrumento lá. A alteração consiste em incluir no âmbito da operação um Componente de Resposta Emergencial.
Em reais > Diante da movimentação em torno dos US$ 18 milhões do BIRD, o vereador Jayme Asfora lembra que existe, no Fundo Especial da Câmara do Recife criado para construir a nova sede do Legislativo Municipal, um montante de R$ 18 milhões. Através de projeto, ele propôs que esses recursos sejam destinados às pessoas de baixa renda que estão sofrendo com a pandemia.
Sumaríssimo > Com a coluna cantou a pedra, também ontem, a Alepe aprovou, na CCJ, a mudança no regimento interno para dar segurança jurídica ao rito sumaríssimo que já vinha sendo aplicado na Casa em função das urgências imprimidas pelo novo coronavírus. A lógica é reduzir os prazos, uma vez que, mesmo em caráter de urgência, seria preciso esperar cinco sessões para votação. Agora, a contagem passa a ser por dias úteis.

 

Veja também

A eleição, a celeuma e a solução
CARLOS BRITTO

A eleição, a celeuma e a solução

Túlio Gadêlha quer suspender exploração de petróleo em Noronha
blog da folha

Túlio Gadêlha quer suspender exploração de petróleo em Noronha