JUSTIÇA

PGR diz ao STF que arquivou queixa contra Bolsonaro e Queiroga por retardar vacinação de crianças

Políticos de oposição pediam apuração sobre eventual crime de prevaricação ao atrasar doses para crianças

Marcelo Queiroga e Jair BolsonaroMarcelo Queiroga e Jair Bolsonaro - Foto: Evaristo Sá/AFP

A Procuradoria-Geral da República (PGR) informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que arquivou uma apuração preliminar apresentada contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, por retardar o início da vacinação das crianças contra a covid-19.

A notícia-crime foi apresentada em dezembro de 2021 à Corte pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), a deputada Tabata Amaral (PSB-SP) e o secretário de Educação do município do Rio de Janeiro, Renan Ferreirinha.

Os parlamentares apontavam que houve o "provável cometimento do crime de prevaricação" pela demora em incluir as crianças de cinco a 11 anos entre as pessoas a serem vacinadas contra Covid-19. E pedem que o caso seja enviado para análise do procurador-geral da República, Augusto Aras, para que "proceda à realização das diligências necessárias à apuração dos fatos".

A ação apontou que Bolsonaro deu declarações públicas contra a imunização dessa faixa etária e chegou a ameaçar divulgar os nomes dos diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que haviam aprovado a medida.

Segundo eles, as condutas de Bolsonaro e Queiroga "potencialmente configuram ações deliberadas e coordenadas para retardar a inclusão da vacina contra Covid-19 para crianças de cinco a onze anos no Plano Nacional de Imunização, impondo obstáculos que geram o atraso na definição da estratégia de campanha de vacinação, logística, aquisição, distribuição e monitoramento do processo como um todo".

De acordo com a PGR, porém, "não há como responsabilizar os representados, conforme cogitam os representantes, pela prática do crime de prevaricação", "considerando que as condutas praticadas não preenchem, nem sequer abstratamente, os elementos objetos, subjetivos e normativos do tipo do artigo 319 do Código Penal".

Veja também

Senado aprova acúmulo de saldo de telefonia não utilizado
Serviço de telefonia

Senado aprova acúmulo de saldo de telefonia não utilizado

Bolsonaro volta a estimular armamento da população: "Comprem suas armas"
Presidente da república

Bolsonaro volta a estimular armamento da população: "Comprem suas armas"