Planalto cancela pregão para compra de alimentos para avião presidencial

Por meio de sua conta pessoal no Twitter, Padilha disse que o cancelamento ocorreu por “orientação presidencial”.

Michel Temer Michel Temer  - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse nesta terça-feira (27) que o Palácio do Planalto decidiu cancelar o pregão eletrônico que faria a compra de 170 itens para almoços, lanches e jantares durante as viagens do presidente Michel Temer em aeronaves presidenciais. Por meio de sua conta pessoal no Twitter, Padilha disse que o cancelamento ocorreu por “orientação presidencial”.

A decisão ocorreu após a veiculação de reportagens nesta terça-feira com a descrição dos preços estipulados pela Presidência da República como referência. Por meio de nota, a Secretaria de Comunicação do Palacio do Planalto informou que o presidente Michel Temer determinou a redução de preços nas licitações, com relação "ao que vinha sendo praticado anteriormente". A orientação vale para todas as aeronaves que servem ao governo.

O pregão, que ocorreria no próximo dia 2 de janeiro, tinha estimativa de R$ 1,7 milhão para compra de material e a prestação de serviços pelo prazo de um ano. Como justificativa, o governo descreve que as viagens da Presidência geralmente ocorrem em horários que coincidem com as refeições, e pede que o abastecimento seja continuado e fornecido sob demanda.

Entre os pedidos, junto a almoços e jantares para o presidente e a comitiva de assessores que o acompanha, constam sorvetes, tortas de chocolate e bombons. Como referência, o Planalto utilizou marcas como o sorvete Haagen Dazs, estimado em R$ 15,09 cada, e que, com 500 unidades solicitadas, custaria mais de R$ 7 mil. Para uma tonelada e meia de torta de chocolate, o preço previsto seria de R$ 96.975.

De acordo com o edital, seria contratada uma empresa especializada para prestar serviço de comissaria aérea nos voos, e o julgamento das propostas se daria pelo critério de menor preço global, tendo os valores de referência como teto para a aceitação. Dentre os 170 itens estão também potes de creme de avelã, de 350 gramas, tendo como referência a marca Nutella, ao preço de R$ 34 a unidade. Os 120 potes pedidos custariam, de acordo com essa referência, R$ 4 mil.

Veja também

Aras abre apuração contra Mendonça por usar Lei de Segurança para investigar opositores de Bolsonaro
Política

Aras abre apuração contra Mendonça por usar Lei de Segurança para investigar opositores de Bolsonaro

Bolsonaro diz que será submetido a nova cirurgia de correção de hérnia
Brasil

Bolsonaro diz que será submetido a nova cirurgia de correção de hérnia