Plenário tem Kim, Joice e Frota, disputa por microfone, selfies e ataques

É este o tom da primeira sessão de debates da Câmara na 56ª Legislatura, nesta terça-feira (5).

Câmara dos DeputadosCâmara dos Deputados - Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) subiu na tribuna da Câmara para falar às 15h36. Usou o tempo de fala para dar recado à oposição: "A vida do PT não será fácil nessa Casa", afirmou.

Às 16h10, o vídeo já estava disponível nas redes sociais da parlamentar, que tem 288 mil seguidores no Twitter. "Não preciso de muito tempo para dar o meu recado", escreveu.

É este o tom da primeira sessão de debates da Câmara na 56ª Legislatura, nesta terça-feira (5).

Leia também:
Problema está em não ter votos, afirma Maia sobre Previdência
Maia e Guedes se reúnem nesta terça-feira
Antônio Moraes (PP) propõe comissão para fiscalizar barragens de Pernambuco


Com o plenário mais cheio do que o normal em dias em que não há deliberação sobre projetos, deputados recém-chegados disputam o microfone da tribuna para fazer suas primeiras falas e fazem vídeo-selfies para as redes sociais.

A base do governo de Jair Bolsonaro (PSL) era a mais presente no plenário desde a abertura da sessão.

Além de Joice, também usaram o tempo de fala outros deputados conhecidos das redes sociais, como Kim Kataguiri (DEM-SP), Alexandre Frota (PSL-SP), e Marcel Van Hattem (Novo-RS).

Em seu discurso, Frota afirmou ter formado um grupo de parlamentares para "fiscalizar" as condições dos presos da Lava Jato em Curitiba.

Já Kataguiri defendeu a reforma da Previdência e usou o tempo para falar sobre o pai. "Quero dizer que estou usando uma das únicas heranças que meu pai, falecido há dois anos, me deixou, que é esta gravata que ele comprou para acompanhar a formatura da minha irmã", disse. "Eu me sinto triste por ele não estar aqui para ver a minha posse, ele não vai estar aqui para ver eu me formar, mas ele pode ter certeza que eu vou seguir com a honra e com a moral que ele me ensinou a vida inteira."

Em seu segundo mandato, a deputada Geovânia de Sá (PSDB-SC) presidia a sessão e explicava o funcionamento das regras da sessão para os novatos. "Agora no pequeno expediente eu vou chamar dez deputados. Aí no intervalo até eles virem à tribuna, eu dou um minuto [para falar]", disse ela a um dos deputados, que tentava pedir a palavra em um dos microfones do plenário.

As discussões acaloradas entre base e oposição também já começaram, e foram protagonizadas por veteranos. Um bate-boca irrompeu no plenário quando o deputado Valmir Assunção (PT-BA) subiu à tribuna e discursou em defesa do ex-presidente Lula.
Do chão do plenário, o Delegado Éder Mauro (PSD-PA) reagiu, aos gritos. Ao retomar a palavra, Assunção chamou o colega de mal educado: "O deputado não tem educação para ouvir, porque ele não gosta de contraditório", afirmou.

A discussão continuou até que Geovânia interveio: "Deputados e deputadas, este é o meu segundo mandato, mas acho que, acima de tudo, é preciso que haja respeito. Temos que respeitar a situação, a oposição, mas também respeitar os nobres colegas que chegaram aqui pelo voto do povo", disse.

As primeiras sessões que analisarão projetos de lei serão realizadas apenas na próxima semana, a partir de terça-feira (12). Nesta quarta-feira (6), será realizada a primeira reunião de líderes do ano, para definir a pauta prioritária da Casa no início desta legislatura.

Veja também

Eleições 2022 já estão no retrovisor de lideranças políticas sertanejas
Carlos Britto

Eleições 2022 já estão no retrovisor de lideranças políticas sertanejas

Navegue na edição digital da Folha de Pernambuco
Folha de Pernambuco

Navegue na edição digital da Folha de Pernambuco