[Podcast] "Eleição intermediária é fundamental para o País", defende Carlos Neves

Eleger os mandatários e seis anos depois voltar a discutir política é, na análise dele, "encastelar os políticos dentro do Congresso, das câmaras, dos gabinetes, afastar da população a discussão"

Carlos Neves, advogado e presidente da Comissão Nacional Eleitoral da OAB.Carlos Neves, advogado e presidente da Comissão Nacional Eleitoral da OAB. - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Presidente da Comissão Nacional de Direito Eleitoral da OAB, o advogado Carlos Neves vai discutir como aprimorar a eleição municipal e ainda o sistema eleitoral, a longo prazo, junto ao colegiado que comanda, o qual reúne 15 membros, entre os quais, cinco ex-ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a exemplo de Luciana Lóssio, Henrique Neves e Caputo Bastos.

Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta segunda-feira (15), Carlos Neves alertou para a discussão, lançada na Marcha dos Prefeitos, sobre eliminar as eleições intermediárias no País.

Ele argumenta o seguinte: "O caso específico sem eleição intermediária é prejudicial. Veja os Estados Unidos como é interessante. Um terço do parlamento é renovado na metade do mandato e, veja, sempre há resposta ao gestor atual. (Donald) Trump foi eleito com maioria no Congresso. Dois anos depois teve eleição. Quem ganhou ? Mulheres negras, comunidade LGBT, imigrantes ganharam nos Estados Unidos. Isso renovado um terço do Congresso depois de dois anos. São eleições intermediárias. Quais são nossas eleições intermediárias? A de prefeito, a municipal".

Carlos Neves prossegue: "Se o governador não estiver bem, se os deputados federais forem voltar para base e não estiverem trabalhando bem pela população, não vão ser eleitos". Então, conclui: "Essa eleição intermediária é fundamental para o País. Querer eleger todos os mandatários e seis anos depois voltar a discutir política é encastelar os políticos dentro do Congresso, das câmaras, dos gabinetes, afastar da população a discussão".

Na análise dele, "quanto mais política, mais debate. Quanto mais debate mais a gente avança. Quanto mais eleições, mais a democracia avança. Isso tem provas em todos os sistemas políticos do mundo".

Carlos Neves falou ainda da posição da OAB Nacional sobre a prisão em segunda instância, analisou pontos positivos e negativos do projeto anticrime de Sérgio Moro e ponderou a chance de a proibição de coligações em 2020 não ser aplicada, entre outras coisas.

A entrevista na íntegra segue abaixo:

Veja também

Com apoio da oposição, manifestantes fazem carreatas por impeachment pelo país
Impeachment

Com apoio da oposição, manifestantes fazem carreatas por impeachment pelo país

Carreata no Recife pede impeachment de Bolsonaro e vacinação para todos
BLOG DA FOLHA

Carreata no Recife pede impeachment de Bolsonaro e vacinação para todos