Polícia Federal cumpre mandados no Senado

A ação tem como um dos alvos policiais legislativos, entre eles o diretor da Polícia do Senado, Pedro Ricardo Carvalho, homem de confiança do presidente do Senado, Renan Calheiros

Paulo Câmara observa o galpão que guarda de todo o acervo documental do EstadoPaulo Câmara observa o galpão que guarda de todo o acervo documental do Estado - Foto: Wagner Ramos/Sei

A Polícia Federal cumpre, nesta sexta-feira (21), mandados no Senado Federal. A ação ocorre apenas dois dias depois da prisão de Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, do PMDB.

A ação tem como um dos alvos policiais legislativos, entre eles o diretor da Polícia do Senado, Pedro Ricardo Carvalho, homem de confiança do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

A operação teria relação com informações prestadas por um servidor do Senado à Justiça Federal. Conforme informações preliminares, nenhum gabinete de senador foi alvo da ação nesta manhã.

Ainda não há informações oficiais sobre a razão das diligências. Sabe-se apenas que quatro policiais legislativos foram presos sob suspeita de terem atrapalhado investigações.

A Justiça autorizou a condução coercitiva de Carvalho.

Eduardo Cunha

Cunha foi preso na quarta (19) depois de decisão do juiz Sergio Moro. O magistrado considerou que há riscos de que o ex-parlamentar deixe o País.

Moro argumentou, também, que a liberdade de Cunha oferecia um risco à ordem pública e à execução da lei, uma vez que não se sabe a extensão de suas contas no exterior, o que poderia dificultar a eventual recuperação dos recursos pela Justiça.

Depois de ser preso, o peemedebista contratou um advogado especializado em delações premiadas, Marlus Arns de Oliveira.

Veja também

Eleições: candidatos agora só podem ser presos em flagrante
Política

Eleições: candidatos agora só podem ser presos em flagrante

Guia eleitoral do Recife dá ressonância a farpas e propostas
Eleições 2020

Guia eleitoral do Recife dá ressonância a farpas e propostas