Polícia Federal deflagra 50ª fase da Operação Lava Jato

Investiga-se o pagamento de propina de agentes públicos e atos de lavagem subsequentes em contratos da Transpetro

Polícia FederalPolícia Federal - Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (23) a 50ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Sothis II. Os agentes federais cumprem três mandados de busca e apreensão nas cidades de Salvador (BA), Campinas e Paulínia (SP).

A operação está relacionada às investigações da 47ª fase, a Sothis. Ela apura o pagamento de propina de agentes públicos e atos de lavagem subsequentes em contratos da Transpetro, subsidiária da Petrobras que atua na área de transporte.

Em Salvador, a PF cumpre os mandados na casa de Ana Vilma Fonseca de Jesus, mulher do ex-gerente da Transpetro José Antônio de Jesus, que foi preso na 47ª fase e se encontra na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Em São Paulo, os mandados tem como alvo empresas investigadas na operação.

Leia também:
Chefs de Eduardo Paes foram pagos pelo Senac, investigado na Lava Jato
Operação da PF mira esquema de fraude em créditos tributários


Familiares e intermediários do ex-gerente são suspeitos de operacionalizar o recebimento de R$ 7 milhões de propinas pagas pela empresa de engenharia NM entre setembro de 2009 e março de 2014, dissimulando a origem ilícita dos recursos, por meio de depósitos em contas bancárias.

Segundo os procuradores, o ex-gerente teria pedido, inicialmente, o pagamento de 1% do valor dos contratos da NM com a Transpetro como propina, mas o acerto final ficou em 0,5%. Esse valor teria sido pago mensalmente em benefício do PT e não tinha relação com os pagamentos feitos pela mesma empresa ao PMDB a pedido da presidência da Transpetro.

De acordo com o MPF, o ponto de partida das investigações da 47ª fase foi a colaboração premiada de executivos, entre eles a de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro.

Veja também

Justiça Eleitoral já registrou mais de 55 mil pedidos de candidaturas
Eleições 2020

Justiça Eleitoral já registrou mais de 55 mil pedidos de candidaturas

Barroso defende trabalho da imprensa no combate à desinformação
STF

Barroso defende trabalho da imprensa no combate à desinformação