Dentro do tema, o parlamentar abordou exemplos de usinas existentes na Europa, nos Estados Unidos, na Ásia e na Argentina
Dentro do tema, o parlamentar abordou exemplos de usinas existentes na Europa, nos Estados Unidos, na Ásia e na ArgentinaFoto: Divulgação

Neste sábado (30) em Petrolândia, no Sertão Pernambucano, o deputado Alberto Feitosa (SD) falou sobre os resultados positivos da possível instalação da Usina Nuclear em Itacuruba.

Dentro do tema, o parlamentar abordou exemplos de usinas existentes na Europa, nos Estados Unidos, na Ásia e na Argentina. Também falou dos impactos sociais, econômicos e culturais refletidos na vida dos cidadãos brasileiros que se beneficiam do investimento em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, que, neste ano, foi escolhida como Patrimônio Mundial, Natural e Cultural da UNESCO, bateu o recorde na produção de sardinha do País, além de ser um grande polo turístico nacional.

O evento contou com a participação de dezenas de lideranças da localidade que tiraram suas dúvidas e saíram otimistas com a possibilidade de instalação da Usina. Dentre eles estava o artista, cantor e compositor, Maurillio Lima, que era contra a instalação e que mudou de ideia ao conhecer mais sobre o tema.

"Antes eu não entendia o que é e como funciona uma Usina. Por isso eu tinha muito medo e receio, eu achava que a usina iria acabar com o nosso São Francisco, com os nossos peixes. Mas agora, depois de ver a apresentação do deputado eu pude esclarecer minhas dúvidas e vi que não traz morte e sim, oportunidade de emprego e desenvolvimento. A primeira coisa que vou fazer quando chegar em casa é contar aos meus parentes e amigos sobre esse grande investimento que vai ajudar bastante o nosso sertão!", afirmou.

O deputado Alberto Feitosa falou da importância e da oportunidade de esclarecer mais sobre o tema, bem como, se colocou a disposição para realizar mais vezes esse tipo de evento.

"Quando esclarecemos o assunto, mostrando exemplos, a população se mostra receptiva a possibilidade de instalação de uma Usina Nuclear. Isso mostra que a negação vem pela falta de conhecimento do tema por algumas pessoas, e dizer não a um investimento de tamanha capacidade de transformação positiva na vida dos cidadãos, principalmente uma população tão sofrida como os sertanejos, é negar a melhoria de vida de milhares de pessoas. Dizer não a Usina é dizer não a vida", afirmou Feitosa.

assuntos

comece o dia bem informado: