Petrolândia
PetrolândiaFoto: Divulgação

Após a abertura do primeiro dia do Pernambuco em Ação, o governador Paulo Câmara pegará a estrada para mais um dia do programa. Dessa vez, o gestor seguirá para o Sertão de Itaparica, onde visitará as cidades de Petrolândia e Floresta. Na ocasião, o gestor deverá anunciar novamente uma série de ações para as cidades sertanejas.

A primeira parada do gestor será a plenária do programa Pernambuco em Ação, às 9h. Na ocasião, o gestor deverá voltar a prestar contas das ações do seu governo na região, repactuar metas e lançar novas ações do seu governo. Durante o evento, estão previstos 14 anúncios de benfeitorias e iniciativas diversas para contemplar as cidades próximas.

Haverá a inauguração da quadra da escola Emilia Canterelli, da cobertura da quadra Escola Delmiro Gouveia, entrega de certificados de conclusão de curso do programa Chapéu de Palha, a liberação de mais de R$ 300 mil do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM) para prefeituras da região, assinatura de convênios, entre outras iniciativas.

Em Floresta, o gestor vai inaugurar a quadra da escola Deputado Afonso Ferraz, onde ele irá fazer a assinatura de programa de leite e alimentos para a cidade e dar por inauguradas praças e avenidas. No município, o governador também fará articulações políticas, visitando as lideranças aliadas ao seu projeto político. O chefe do Executivo estadual almoçará com o deputado estadual Rodrigo Novaes (PSD), seguirá para a casa da ex-prefeita do município Rorró Maniçoba (PSB) e do deputado federal Kaio Maniçoba (PMDB) e, por último, visitará o prefeito Ricardo Ferraz. As articulações políticas visam pavimentar alianças para 2018. No dia seguinte, o gestor seguirá para o Sertão do Moxotó, onde passará por Arcoverde e Buíque.

Alianças
O governador Paulo Câmara (PSB) se mostrou aberto para debater alianças no próximo pleito estadual. Apesar de ponderar que o assunto só será debatido no próximo ano, no período eleitoral, o gestor afirmou, ontem, que está de portas abertas para o diálogo com os partidos que estiverem dispostos a ajudá-lo e tiverem afinidade de pensamento com o projeto da Frente Popular por Pernambuco.
A resposta foi dada quando o gestor foi questionado sobre a volta da aliança com o PT.

O socialista disse que os partidos "sempre estiveram juntos", mas mostraram dissidências que os afastaram a partir das críticas do ex-governador Eduardo Campos ao Governo Dilma.

"Eu não fecho portas com quem a gente puder conversar. Em 2018, vamos conversar com quem estiver aberto a conversar conosco. Mas é um assunto que só vamos debater em 2018", afirmou, em entrevista à uma rádio local em Serra Talhada, ontem. O gestor foi questionado também se acredita na volta de uma aliança com DEM e PSDB, mas repetiu o mesmo mote de somente tratar de eleições no ano que vem.

assuntos

comece o dia bem informado: