Dahmani foi recebido pelo presidente do Grupo?EQM, Eduardo Monteiro, e diretoria da Folha
Dahmani foi recebido pelo presidente do Grupo?EQM, Eduardo Monteiro, e diretoria da FolhaFoto: Alfeu Tavares

A ligação histórica entre Pernambuco e a Argélia é conhecida dos pernambucanos que acompanharam o exílio do governador Miguel Arraes no país africano, nas décadas de 1960 e 1970. Esse vínculo afetivo foi uma das motivações para o convite feito pelo presidente do Instituto Miguel Arraes (IMA), Antônio Campos, para que o embaixador Toufik Dahmani chegasse ao Estado, ontem, onde permanecerá até a próxima quinta-feira, a fim de estreitar os laços de amizade.
Mas a estadia de Toufik Dahmani - segundo ele próprio explicou - será mais do que uma visita cordial. Ele pretende ir além. “Estou aqui, também, para explorar as oportunidades de negócios e de cooperações possíveis entre a Argélia e o Estado de Pernambuco. Já temos excelentes relações políticas, de solidariedade, de amizade entre a Argélia e o Brasil. Agora, precisamos elevar as relações econômicas no mesmo nível das relações políticas”, afirmou Toufik Dahmani.
O embaixador também deixou claro que, entre os projetos para alavancar essa parceria comercial entre os dois países, estão visitas aos ministérios da Agricultura e da Indústria e Comércio, que devem ser agendadas e realizadas nos próximos meses.
Visita
Logo após a chegada ao Recife, ontem, acompanhado do secretário Chafik Kellala e do advogado Antônio Campos, Dahmani fez uma primeira parada: foi recebido pelo presidente do Grupo EQM, Eduardo Monteiro; e pelos diretores da Folha de Pernambuco, Paulo Pugliesi (Executivo), Mariana Costa (Administrativa), Alano Vaz (Comercial) e José Américo Góis (Operacional), e pela editora-chefe do jornal, Patrícia Raposo.
Durante a visita à Folha de Pernambuco, o embaixador pôde dia­logar com o consultor do setor sucroalcooleiro, Gregório Maranhão, com quem trocou relevantes informações econômicas.
Na ocasião, Gregório Maranhão ressaltou a importância vital do Nordeste para a exportação dos produtos do setor sucroalcooleiro, em especial Pernambuco, lembrando que a região apresenta-se em posição estratégica para escoamento dos produtos, com portos importantes, a menos de 50km dos centros urbanos, à disposição .
“O Nordeste tem uma vantagem comparativa notável, que tem garantido a nossa sobrevivência setorial nos últimos séculos, devido à proximidade dos portos", explicou Maranhão.
O presidente do Instituto Miguel Arraes, advogado Antônio Campos, também falou da importância da visita do embaixador: "Trazer o embaixador da Argélia é aproximar a Argélia do Nordeste do Brasil e de Pernambuco, dando uma aproximação comercial e política”, disse.
Hoje, está prevista uma visita protocolar do embaixador ao governador Paulo Câmara, entre outras atividades.

assuntos

comece o dia bem informado: