Elias Gomes comandará o PSDB nas eleições de 2018
Elias Gomes comandará o PSDB nas eleições de 2018Foto: Rafael Furtado/Folha PE

Responsável por comandar as estratégias do PSDB, partido que assume a presidência estadual nos próximos dias, o ex-prefeito de Jaboatão Elias Gomes afirma que nada foi discutido sobre 2018 na sigla, mas faz alertas: o PSDB não pode mais ser coadjuvante nas alianças e o governador Paulo Câmara, a quem faz uma série de elogios, precisa assumir o comando do PSB no Estado e mostrar que é o líder.

“Eu quero dizer que o governador Paulo Câmara precisa deslocar o centro do poder do Palácio Capibaribe para o Palácio do Campo das Princesas. Se ele não fizer isso, vai estar enfraquecido em 2018”, afirmou Elias Gomes, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, se referindo à ao prédio sede da Prefeitura do Recife.

Em maio do ano passado, Paulo Câmara retirou do Governo o PSDB e o DEM, partidos que faziam parte da aliança estadual, mas que decidiram lançar candidatos à sucessão do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), que tentava a reeleição.

Elias disse que o governador tomou a decisão pela saída do partido “constrangidamente”, por não concordar “totalmente” com aquilo. “Mas ele, como uma pessoa disciplinada, acatou a decisão do PSB de Pernambuco e a implementou”, acrescentou.

Dizendo que o governador precisa “chamar o feito à ordem”, no PSB, Elias Gomes avalia que Paulo Câmara precisa assumir a “condução política” e o controle do partido, pois tem força e é o vice-presidente da sigla.

“Não basta ser líder. Precisa parecer ser o líder. Sem pretender ser arrogante, ele precisa bater à mesa e demonstrar com mais visibilidade essa liderança que ele representa dentro do seu partido”, ponderou, colocando que o governador é uma “pessoa digna, um bom gestor”, e que é legítimo que dispute a reeleição.

Sobre a postura do PSDB na eleição do próximo ano, Elias afirma o PSDB não pode ser tratado como foi “em tempos passados”.

“Na eleição de Paulo Câmara, não se explica que o PSDB, pelo tempo que ofereceu de guia eleitoral, pelos quadros que dispunha, ficasse fora da chapa majoritária. Isso é subestimação do partido. Agora, se vamos ter candidato a governador ou não, essa não é uma decisão minha. Será parte do entendimento que quero construir dentro do PSDB. Antes de nomes, a gente precisa saber o jogo que nós vamos jogar em 2018”, explicou, acrescentando que o ministro das Cidades, Bruno Araújo, aparece como o principal nome majoritário do partido

Nota 4
Elias Gomes também não fugiu da avaliação do seu sucessor na Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, o prefeito Anderson Ferreira (PR). Cinco meses após o início da gestão, ele avalia que o atual gestor não apresentou nada de novo no município.

“Na época da posse, eu disse que era preciso dar uma trégua ao prefeito que estava assumindo. Que embora tenha vencido a eleição sem um programa de Governo, ganhado no oba oba, eu esperava que ele fosse organizar um planejamento para a cidade, dar continuidade com o que tivesse de certo, ou implantar novos programas. Ele não deu continuidade ao que estava certo. A área de gestão, como um todo, é nada”, explanou.

Instado a dar uma nota para ao início de gestão, não se furtou: “Nota quatro, porque eu não seria rigoroso antes de concluir o primeiro ano. Se continuar assim e chegar em dezembro nessa situação, ele cai para nota três”.

assuntos

comece o dia bem informado: