Michel Temer, Paulo Câmara  no Palácio do Campo das Princesas
Michel Temer, Paulo Câmara no Palácio do Campo das PrincesasFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Carol Brito
Da Folha de Pernambuco 

Após visita relâmpago ao Nordeste, no último domingo, o presidente Michel Temer (PMDB) volta a se encontrar, nesta hoje, com os governadores de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), e de Alagoas, Renan Filho (PMDB).

A agenda, em Brasília, integra o esforço do chefe do Executivo federal de promover uma agenda positiva diante dos escândalos que ameaçam pôr fim ao seu governo. O objetivo é dar continuidade aos pleitos dos administradores para amenizar os efeitos das enchentes que atingiram os dois Estados nordestinos.

A pauta também serve para reaproximar dois aliados que andavam distantes do Palácio do Planalto: o senador Renan Calheiros (PMDB) - pai do gestor alagoano - e do PSB - que, recentemente, decidiu desembarcar da base governista.

O presidente Michel Temer receberá os gestores a partir das 9h. Na ocasião, o governador Paulo Câmara espera que as pautas apresentadas na reunião do último domingo ganhem desdobramentos concretos.

Ele pleiteia recursos para destravar as obras de quatro barragens: Panelas, Barra de Guabiraba, Gatos e Igarapeba. Até hoje, o principal aporte nas obras são de verbas do próprio Estado. Apesar de prever um investimento de apenas R$ 15 milhões, inicialmente, foram desembolsados cerca de R$ 80 milhões dos cofres estaduais devido aos atrasos do Governo Federal. O mesmo aconteceu com as obras da barragem de Serro Azul: foram R$ 300 milhões do Estado e R$ 200 milhões liberados pelo Palácio do Planalto.

A escassez nos repasses federais é sentido desde 2011, e vem sendo a principal queixa nos bastidores do Palácio das Princesas. A avaliação é que, neste momento, é preciso não somente promessas, mas, também ação do Governo Federal. Além do encontro com Michel Temer, Paulo Câmara poderá se encontrar com o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, para detalhar o destravamento dos projetos.

A aproximação do Governo Federal diante da calamidade em Pernambuco fez "quebrar o gelo" entre Paulo Câmara e Michel Temer, que chegaram a ficar afastados após o afastamento do PSB do Palácio do Planalto.

Os gestos são feitos até pelos aliados. Após reunião de Paulo Câmara com o secretariado para discutir ações para amenizar os efeitos das enchentes, ontem, o secretário estadual de Planejamento, Márcio Stefanni, fez um discurso de unidade entre Governo do Estado e Federal.

Ele se queixou da falta de repasses de recursos para concluir as benfeitorias, mas enfatizou a intenção do Palácio das Princesas em estreitar parcerias. "Aqui não há troca de culpas (entre Estado e Governo Federal), há a necessidade de ajudar as pessoas que estão debaixo de água. O que é necessário é trabalhar em prol de Pernambuco", afirmou.

assuntos

comece o dia bem informado: