Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante passagem pelo Recife nesta sexta (30)
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante passagem pelo Recife nesta sexta (30)Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Por Anderson Bandeira
Da Folha de Pernambuco

O presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia (DEM), afirmou, nesta sexta-feira (30), que a análise dos processos de impeachment contra o presidente Michel Temer (PMDB), deflagrado pela oposição, virou fato "menor". No Recife, onde veio participar de um evento do Porto Digital, o democrata avaliou que a denúncia de corrupção envolvendo o presidente tem o peso maior na discussão por envolver investigações mais profundas sobre os supostos crimes praticados pelo peemedebista.

"Acho que a questão do impeachment ficou menor em relação ao que aconteceu essa semana. A denúncia do procurador Janot certamente é embasada nos mesmos temas e com informações muito mais profundas, porque quem fez a investigação foi a própria PGR. Acho que a primeira denúncia ou a segunda que tiver trarão a mesma base dos impedimentos. Não terá nenhum tipo de perda nessa questão. Até porque a denúncia já está andando. Tem o mesmo teor dos impedimentos", disse.

Ainda de acordo com o presidente, as denúncias deverão ser analisadas e votadas separadamente e não em bloco como defendem alguns governistas. Confrontado pelo Supremo, que pediu para que se explicasse sobre o não encaminhamento do pedido de impeachment, o democrata ironizou a oposição. Considerou que o bloco é o mesmo que questionou o processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff (PT). "O impeachment que tramita na Casa ele muitas vezes tramita 100, 200 dias como foi o da presidente Dilma. Então, o pedido de impeachment é mais político, diferente da denúncia", disse.

assuntos

comece o dia bem informado: