Ex-presidenta Dilma Rousseff discursa no Pátio do Carmo
Ex-presidenta Dilma Rousseff discursa no Pátio do CarmoFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Antes de discursar, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aqueceram a plateia presente no Pátio do Carmo, no Centro do Recife. O ex-presidente chegou ao local acompanhado de comitiva, com pouco mais de duas horas de atraso.

A deputada federal e presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, ressaltou as conquistas no País e no Estado durante os governos petistas. A parlamentar chamou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) de "verdadeira presidenta da República".

"Lula, você foi de um tempo em que aqui nós conquistamos a Refinaria Abreu e Lima, foi também no seu tempo que nós conquistamos a Transnordestina. E que a presidente Dilma deu continuidade. E conquistamos a indústria automobilística com a Jeep", disse.

A senadora Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional do PT, afirmou que a caravana do ex-presidente "tem sido um sucesso".

"O presidente Lula conhece a alma do povo. Ele sabe o que o povo precisa", discursou. "Estamos enfrentado um momento muito difícil. Em que os golpistas tiraram Dilma porque queria tirar os direitos do povo brasileiro. Eles têm a desfaçatez de tirar R$ 10 do salário mínimo, cortar Bolsa Família. Depois não sabem o motivo pelo qual o povo gosta de Lula", afirmou.

Gleisi disse que, na Bahia, onde o ex-presidente já esteve com a sua caravana, "tentaram tirar um título de Doutor Honoris Causa". "Os alunos foram para a frente da Universidade e disseram que davam a ele o títutlo de maior presidente do Brasil".

A ex-presidente Dilma, que sofreu um processo de impeachment, foi saudada pelos presentes com gritos de "Olé, olé, olá, Dilma, Dilma".

"Estamos nessa praça fazendo um ato de fé e esperança. Sabemos que o Brasil pode ser tranformado. Cada um de nós sabe disso", disse.

O discurso de Dilma foi interrompido por gritos de "eu quero moradia, sim".

Dilma continuou a fala afirmando que acreditava que o País não ia assistir outra vez a um golpe de Estado. "Mas depois de 13 anos, em que foi possível tirar o Brasil do mapa da fome, de tirar 36 milhões da miséria. No Brasil, só tem um jeito de o pobre ter casa própria: o governo botando a mão no bolso para subsidiar. Agora, os mais pobres têm direito a voto".

A ex-presidente também afirmou que houve um "golpe sem crime de responsabilidade". "Durante o impeachment, muitos demonstraram coragem. Vários pernambucanos. Por questão de Justiça, eu queria agradecer ao deputado Silvio Costa (PTdoB-Avante). À bancada que votou contra o impeachment num gesto de coragem. Agradecer também o senador Humberto, Gleisi e Lindebergh, que incansavelmente lutaram contra essa vergonha. Um País que foi do Pró-Une, do Fies, que levou jovens das classes populares a estudar no exterior, no Ciência sem Fronteira. Enfim, esse impeachment é um golpe para tirar todos os direitos que os trabalhadores e a classe média lutaram para conquistar", declarou Dilma. Ela continuou: "Só quem tem esperança é capaz de mudar. Para reverter esse golpe. Como diz Chico Buarque: O Brasil fala grosso com a Bolívia e fala fino com os Estados Unidos".

Dilma também disse que nessa processo, as mulheres acolheram e que tem por elas "uma extraordinária gratidão".

Antes de Lula discursar, o Frei Aluísio Cardoso entregou um crucifixo artesanal ao ex-presidente. O ator Irandhir santos fez uma saudação ao líder petista.

Com informações de Márcio Didier.

assuntos

comece o dia bem informado: