André de Paula
André de PaulaFoto: Márcio Didier/Blog da Folha

Diante da formação de um bloco de oposição ao governo Paulo Câmara (PSB), o deputado federal André de Paula (PSD), que integra a base de apoio ao socialista, afirmou que a união de várias lideranças em um mesmo palanque será “difícil”. No entanto, na sua visão, a consolidação da frente poderia atrapalhar os planos de reeleição do governador.

Na tese do deputado, o conflito de interesses torna a formação do grupo de oposição uma “equação difícil” de resolver. O bloco conta com personalidades como o senador Armando Monteiro (PTB), o ministro Mendonça Filho (DEM), o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) e o deputado federal Bruno Araújo (PSDB).

Mas André admite que a reeleição de Paulo Câmara pode ser ameaçada, caso o grupo consiga atingir a unidade. “O caminho ainda está muito aberto, se nós tivéssemos todas as forças políticas que estão na oposição a Paulo Câmara unidas, nós teríamos uma eleição dificílima, mas essas forças políticas não tem condição de marchar juntas em torno de um candidato só, então eu acho que o governador Paulo Câmara continua em uma situação muito confortável", afirmou, em entrevista ao programa Cidade em Foco, da Rede Agreste de Radio.

PSDB e PSB
Na ocasião, o deputado também comentou sobre a possível aliança entre o PSDB e o PSB, defendida pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), durante sua passagem pelo Recife, neste fim de semana. "Se o PSDB pretende ter o apoio do PSB a candidatura de Geraldo Alckmin lá em cima, ele vai ter que negociar. Nessa negociação a primeira moeda, sem dúvida nenhuma, será o Estado onde o PSB tem a prerrogativa de ver o seu governador candidato a reeleição. Então não se assustem se amanhã o ministro Bruno Araújo tiver, em função de uma questão nacional, que se somar ao governador Paulo Câmara", declarou.

Para o parlamentar, a aproximação do PSB com o PT é válida. “A gente não pode estigmatizar um partido que tem a importância como o PT tem por conta do equívoco de alguns dos seus dirigentes (...) Se amanhã a gente tiver a possibilidade de construir uma aliança que una PSB e PT, sob a liderança do governador Paulo Câmara e em torno de propostas que sirvam aos pernambucanos e a Pernambuco, ela conta com o meu apoio", destacou.

assuntos

comece o dia bem informado: