Com o objetivo de impulsionar a participação e a representatividade de mulheres em espaços políticos, dentro e fora do partido, a Secretaria Nacional de Mulheres do PT lança, nesta quinta-feira (14), o projeto Elas por Elas em Pernambuco. O lançamento, que ocorre a partir das 18h, na sede da legenda, reunirá lideranças petistas locais e nacionais, além da presença das pré-candidatas do PT aos cargos Legislativo e Executivo nas eleições de 2018.

Leia também:
Cinco mulheres lançam candidatura coletiva a deputada estadual em Pernambuco


Pesquisa “Estatísticas de gênero – Indicadores sociais das mulheres no Brasil”, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) este ano revelou que o Brasil possui apenas 10% de parlamentares mulheres e 16% de senadoras. Em um total de 192 países analisados, o Brasil está na posição 152 no quesito representatividade feminina nos espaços políticos, atrás de nações como Senegal, Equador e Etiópia.

Nesse sentido, o Elas por Elas busca se colocar como uma resposta à desigualdade de gênero instalada no País, de acordo com o partido. O projeto foi inaugurado nacionalmente em abril, em Curitiba, com a presença de lideranças políticas como a senadora e presidente nacional do partido, Gleisi Hoffman, e a ex-presidente Dilma Rousseff. A iniciativa já foi lançada em outros estados brasileiros, como Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Acre e Rio Grande do Sul.

O primeiro momento do projeto compreende a formação das pré-candidatas, no sentido de dar apoio institucional a elas. Posteriormente, no período de campanha haverá orientação com profissionais do direito e da contabilidade para dar sustentação a essas candidaturas.

“O Elas por Elas é um projeto de iniciativa da Secretaria Nacional de Mulheres do PT e tem como objetivo formar mulheres que vão concorrer ao Executivo e Legislativo nas eleições de 2018”, explica a secretária de Mulheres do PT-PE, Suely Oliveira. Para ela, é fundamental que as candidatas defendam pautas consoantes com um “feminismo popular e socialista”. “A gente precisa de mulheres que nos representem enquanto antirracistas, defensoras da população LGBT e que estejam com a gente na luta. Porque, para o PT, representatividade importa”, avalia.

“Somos o único partido que garante paridade de gênero nos espaços internos de decisão”, afirma Raísa Rabelo, assessora política do projeto do Estado. “Há um imenso problema, não por falta de vontade das mulheres de ocuparem os espaços da política e de poder, mas também por falta de apoio partidário”, continua. Para ela, o Elas por Elas representa mais um avanço e um instrumento de compromisso do PT para com as candidaturas de mulheres.

“O incentivo precisa passar por questões de orientação, formação, comunicação, marketing e informações jurídicas”, diz Aline Fagundes, assessora política do projeto em Pernambuco, ao enumerar as atribuições da proposta.

comece o dia bem informado: