Ciro Gomes e Paulo Câmara
Ciro Gomes e Paulo CâmaraFoto: Henrique Genecy/Folha de Pernambuco

Um dia após o presidenciável Ciro Gomes (PDT) se reunir com o governador Paulo Câmara (PSB) no Recife, a reunião de governadores do PSB, em Brasília, pode ter decidido, na quarta-feira (27), a sorte do pedetista, que atualmente conta com a simpatia de maior parte dos socialistas. O encontro com os gestores ratificou a posição dos presidentes estaduais da legenda aferido, informalmente, na última segunda-feira (25).

O apoio, contudo, ainda não é oficial, visto que a executiva nacional do partido deve ser reunir após a Copa do Mundo, em julho, para deliberar sobre o assunto. Nos bastidores, comenta-se que o único entrave é Pernambuco, onde Paulo Câmara segue articulando apoio do PT, que além de lhe render o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, maior cabo eleitoral da região, e tempo de tv, tiraria a vereadora do Recife, Marília Arraes (PT), da disputa eleitoral. Um socialista pontuou que o partido não poderia ficar refém de Marília em Pernambuco.

Leia também:
PT e PSB: Distanciamento já é admitido nos dois lados
O jogo da sobrevivência entre PT e PSB
Encontro pode selar aliança entre PT e PSB


O deputado federal Julio Delgado (PSB-MG) ressaltou a tendência em apoio ao candidato do PDT. “É o sentimento interno majoritário, mas é preciso ser homologado na Executiva nacional”, declarou. Já o líder do PSB na Câmara, Tadeu Alencar (PE), ponderou que o PSB vem dialogando e analisando as possibilidades e que o pedetista é uma possibilidade concreta, mas a decisão não foi tomada ainda. “A despeito de sentimento, a candidatura de Ciro Gomes tem aderência no PSB, mas não há decisão”, explicou.

Câmara foi evasivo sobre a reunião. “Estamos conversando muito dentro do PSB, porque a gente quer na frente, diante das indecisões nacionais, sair com decisão clara. Acertamos entre todos os componentes da Executiva que as conversas com os partidos continuam. Até o final de julho a gente toma uma definição”, afirmou. 

O PSB de Pernambuco, um dos que ainda resiste à aliança com o PDT por vislumbrar acordo com o PT, negou que o apoio foi fechado e acenou aos petistas. “O partido em Pernambuco, seguindo a orientação do governador Paulo Câmara, permanece no diálogo com lideranças nacionais e locais de diversos partidos do campo democrático. Continuaremos a defender, dentro e fora do PSB, uma aliança com o PT, priorizando a candidatura do ex-presidente Lula”. A reportagem tentou contato com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, sem sucesso.

assuntos

comece o dia bem informado: