Fernando?Bezerra espera retomar controle do MDB estadual
Fernando?Bezerra espera retomar controle do MDB estadualFoto: Pedro França/agência senado

Jairo Lima

Fortalecer seu próprio palanque e enfraquecer o adversário simultaneamente é um dos objetivos do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB). Para tanto, o emedebista insiste na batalha jurídica que trava contra o vice-governador e presidente estadual do MDB, Raul Henry, e o deputado federal, Jarbas Vasconcelos (MDB), pelo comando do partido. A ideia de Bezerra é retomar o controle da legenda para levá-la ao palanque do senador Armando Monteiro Neto (PTB), ao mesmo tempo, que, debilitaria os governistas. Porém, o quadro atual favorece o MDB governista, que já marcou sua convenção para o dia 3 de agosto.

A estratégia de Fernando Bezerra Coelho leva em consideração a possibilidade de que uma suposta retomada do partido no âmbito jurídico, mesmo depois da realização da convenção estadual e homologação emedebista na chapa governista pode ser revertida. Caso ocorresse uma decisão jurídica favorável à sua ala emedebista, Bezerra reuniria condições jurídicas para realizar uma nova convenção partidária até 5 de agosto - data-limite para realização das convenções. “Isso pode acontecer, mas vai depender da decisão da Justiça, que é quem pode dirimir essa questão”, disse Fernando Bezerra Coelho, que aguarda a decisão favorável do ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski. “Depende do que ele (o ministro) decidir”, avisou.

Tratativas
Seu ponto de vista é contestado pelos seus rivais, como Jarbas Vasconcelos que aposta no sucesso do seu grupo. “A gente está atento, acompanhando passo-a-passo, eu e Raul (Henry). Acho que o desfecho nos será favorável”, declarou.

O senador ressalta que está alinhado com o projeto da executiva nacional. “Desde o começo, todas as nossas tratativas estão sendo feitas com a executiva nacional”, lembrou. O diretório nacional do MDB, presidido pelo deputado Romero Jucá (RR), mantém a pré-candidatura do ex-ministro Henrique Meirelles à presidência da República, que ainda poderia ceder à candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB), mas nos últimos dias são os próprios tucanos que não estariam dispostos a aceitar o apoio dos emedebistas. “Estamos tranquilos”, colocou.

Movimentações da semana passada da coligação Pernambuco Vai Mudar, que envolveram o deputado Bruno Araújo (PSDB) e outras possíveis pré-candidaturas ao Senado, segundo Bezerra, já foram “superadas”. Fernando Bezerra Coelho está em Petrolina, sua cidade-natal, até amanhã e deve voltar à capital pernambucana apenas no sábado.

assuntos

comece o dia bem informado: