Alex Ribeiro
Alex RibeiroFoto: Divulgação Facebook

Por Alex Ribeiro, cientista político, jornalista e doutorando em história pela UFBA

Um líder popular, preso, que tem vários fieis seguidores, e que acusa a justiça de ser parcial por deixá-lo preso erroneamente e ainda estar sob julgamentos de outros possíveis crimes. Este é o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas também pode ser remetido a outra figura pública bastante conhecida em Pernambuco, mas no século XIX: o chamado “o republico” Antônio Borges da Fonseca.


Fonseca era jornalista e estava sempre no centro das polêmicas que ocorriam no cenário político de Pernambuco. Defendia a república em pleno império e critico dos partidos da época, liberais e conservadores, ele acabou ganhando fama nos seus escritos e atraiu diversos admiradores. Inclusive seus seguidores ficavam do lado de fora de sua cela, na antiga prisão da Rua do Imperador, escutando seus discursos contra a classe política.



Seus conflitos com os políticos lhe renderam diversos processos e algumas prisões. Na última delas teve um embate com um juiz da então comarca do Recife, Vicente Ferreira Gomes. As acusações eram mútuas e o magistrado fazia questão de estar à frente das ações que eram movidas contra Borges da Fonseca.



O jornalista tentou de todas as formas e instâncias ser inocentado, mas sempre era negado pelo juiz. Algumas tentativas de Habeas Corpus, que era novidade na época, foram negadas. Apenas durante as férias de Vicente Ferreira Gomes que Fonseca teve sucesso. Ele aproveitou a ausência do magistrado e conseguiu ser julgado nesse período. Foi absolvido para a irritação do juiz que, neste episódio, não pode fazer nada, apesar do apoio que tinha a favor de outros membros da classe política da época e de setores do Judiciário.O caso mostra que a Justiça e política sempre andaram juntos na História do País. Por mais que o discurso seja em favor das normas ou do arrefecimento político, é difícil separar os dois termos quando existem inquietações sociais.



As comparações com o juiz Sérgio Moro e Lula são inegáveis nesses embates entre Vicente Ferreira e Borges da Fonseca, principalmente na questão do habeas corpus do jornalista. Lula utilizou desse mesmo instrumento várias vezes e, diferente do “republico”, quase conseguiu ser solto em um episódio que envolveu desembargadores, Ministério Público Federal, Tribunal Federal da 4ª Região e claro, o juiz Sérgio Moro – que, assim como Ferreira Gomes, estava de férias, mas conseguiu se mobilizar o suficiente para manter o líder petista preso.


O curioso é que esses dois personagens do período imperial brasileiro uniram forças para lutarem a favor dos rebeldes na Revolta Praieira em Pernambuco, que teve seu ápice entre os anos de 1848 e 1849. União inimaginável entre o magistrado de Curitiba e o líder-mor do Partido dos Trabalhadores.

assuntos

comece o dia bem informado: