Grupo de Operações Especiais - GOE
Grupo de Operações Especiais - GOEFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Uma quadrilha suspeita de crimes licitatórios é alvo da Operação Castelo de Farinha, deflagrada nesta quinta-feira (11) pela Polícia Civil de Pernambuco, que está cumprindo três mandados de prisão e sete mandados de busca e apreensão domiciliar na Zona Sul do Recife e na cidade do Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife (RMR).

As investigações tiveram início em julho deste ano, sob a responsabilidade da delegada da Diretoria Integrada Especializada (Diresp), Patrícia Domingos,  além da participação do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE). Pelo menos sessenta policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, também participaram da operação, que apreendeu, além de documentos, notebooks e celulares.

Acidente de trânsito
As investigações começaram depois de um "acidente de trânsito intencional" ocorrido em Ipojuca, no último dia 4 de Julho, provocado para impedir que uma empresa do ramo alimentício participasse da licitação de alimentos para a merenda de escolas municipais de Ipojuca.

De acordo com o delegado José Cláudio Nogueira, da Diretoria Integrada Especializada, dentro do carro colidido havia documentos de outra empresa que participaria do processo licitatório e, por isso, foram rasgados por pessoas que entraram no carro com o propósito de destruí-los.

Um empresário do ramo alimentício e dois funcionários da empresa estão entre os suspeitos. Por enquanto foi cumprido um mandado de prisão, de uma mulher que é funcionária desta empresa envolvida nos crimes licitatórios.

Ela foi levada para a sede no Grupo de Operações Especiais (GOE) no Cordeiro, onde deverá ser ouvida e depois encaminhada à Colônia Penal Feminina Bom Pastor, localizado na Iputinga, Zona Oeste do Recife, para cumprir prisão temporária.


Operação Castelo de Farinha da PCPE

"Empresários e funcionários das empresas estão sendo investigados, também, sobre a participação de todos em outros processos licitatórios. Inicialmente começamos as investigações pela prefeitura de Ipojuca. Foi cumprido um dos três mandados de prisão e temos informações de que um dos investigados está fora do país", ressaltou o delegado, que ainda não divulgou os nomes dos suspeitos envolvidos na operação.

 

comece o dia bem informado: