Ex-governador Joaquim Francisco (PSDB)
Ex-governador Joaquim Francisco (PSDB)Foto: Zé Britto / Folha de Pernambuco

Cotado como um dos possíveis candidatos da oposição à Prefeitura do Recife, sendo ventilado, inclusive, como o postulante que seria apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ex-governador Joaquim Francisco (PSDB) colocou fim às especulações e refutou a possibilidade de concorrer ao Executivo municipal.

Entretanto, ele não excluiu a possibilidade de atuar ao lado de algum candidato oposicionista. "O fato de não apresentar candidatura a prefeito do Recife não me impede de exercer uma cidadania ativa, vigilante e, sobretudo, comprometida com os caros valores cívicos da tradição pernambucana", afirmou, por meio de nota em rede social.
Na texto, o ex-governador enumera os postos políticos que já ocupou ao longo da sua vida pública e agradece por ter sido "mencionado" em "manifestação de generosos simpatizantes" como um dos possíveis postulantes. "Atento à serena percepção decorrente da experiência acumulada na atividade política e ao dialogar com a minha consciência, fui naturalmente levado a permanecer onde sempre estive: pronto para apoiar uma candidatura politicamente sólida e pragmaticamente consistente, capaz de mudar o rumo de um processo que não vem atrelando aos interesses do Recife", sublinhou.

A posição definitiva publicada nas redes sociais, no final da tarde, porém, foi precedida por um entendimento distinto manifestado durante entrevista à Rádio Folha 96,7 FM, no programa Folha Política, pela manhã. Na ocasião, Joaquim deixou aberta a possibilidade de ser candidato, admitindo, inclusive, uma possível troca de legenda. Neste cenário, ele deixaria o PSDB e iria para o PL para viabilizar uma candidatura apoiada pelo presidente da República. Na entrevista, Joaquim ponderou que ainda não tinha discutido a possibilidade com o presidente do PL em Pernambuco, o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira.

À tarde, em entrevista à Rádio CBN, a mudança de posicionamento foi sinalizada, com o ex-governador frisando que já cumpriu uma missão. “Existem pessoas que podem muito bem representar esse papel (candidato da oposição) e eu estarei engajado no campo da oposição junto com o presidente Bolsonaro, com seus membros da equipe que trabalham no Recife, motivados pela eleição”, afirmou.

Ouça a entrevista:

assuntos

comece o dia bem informado: