Presidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair BolsonaroFoto: Flickr/ Palácio do Planalto

O presidente Jair Bolsonaro criticou neste domingo (21) o general da reserva Luiz Rocha Paiva, que acusou o mandatário de ter sido antipatriótico ao se referir a nordestinos como "paraíbas".

Em mensagem, nas redes sociais, o presidente disse que o militar se aliou ao governador do Maranhão, Flávio Dino, e o chamou de "melancia" (termo pejorativo utilizado para definir militares supostamente comunistas) e "defensor da guerrilha do Araguaia".

"O melhor de tudo foi ver um único general, Luiz Rocha Paiva, se aliar ao PCdoB de Flávio Dino para me chamar de antipatriótico. Sem querer, descobrimos um melancia, defensor da Guerrilha do Araguaia, em pleno século XXI", disse.

O presidente voltou a negar que tenha feito crítica ao povo nordestino, apesar de vídeo feito pelo próprio Palácio do Planalto mostrá-lo chamando os governadores do Nordeste de "paraíba".

"Daqueles governadores, o pior é o do Maranhão. Foi o que falei reservadamente para um ministro. Nenhuma crítica ao povo nordestino, meus irmãos", afirmou.

A guerrinha do Araguaia foi um movimento armado de esquerda de resistência à ditadura brasileira.

Leia também:
Bolsonaro nega ter falado 'paraíba' como crítica a nordestinos
Bolsonaro nega fim da multa de 40% em caso de demissão sem justa causa
Bolsonaro diz que imprensa distorce suas declarações 

Em reação a Bolsonaro, os governadores do Nordeste cobraram explicações. À coluna Painel, da Folha, Dino afirmou: "Só sei que sou o pior dos gestores na visão dele, o que para mim é uma honraria."

Para tentar argumentar que a relação com o Nordeste é boa, Bolsonaro disse que sua esposa, Michelle Bolsonaro, é filha de cearense.

"A maldade está no coração de vocês. Eu tenho tanta crítica ao Nordeste que eu casei com uma filha de cearense"

veja também

comentários

comece o dia bem informado: